alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    Projeto sobre privatização de distribuidoras da Eletrobras será votado após eleição

    Por Thomson Reuters

    Placeholder - loading - news single img

    Atualizada em

    Por Maria Carolina Marcello

    BRASÍLIA (Reuters) - Um projeto de lei visto como importante para viabilizar a privatização da distribuidora de energia da Eletrobras no Amazonas só será colocado em votação no Senado após as eleições de outubro, o que poderá adiar o leilão da empresa, já agendado para 26 de setembro.

    O adiamento da votação acontece após acordo costurado junto ao presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), segundo o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), relator da matéria na Comissão de Assuntos Econômicos, que prevê deliberação 'já no dia 9 de outubro'.

    Na véspera, Bezerra apresentou na CAE um relatório em que defendeu a aprovação do texto, que busca solucionar passivos de distribuidoras da Eletrobras junto a fundos do setor elétrico, o que beneficiaria principalmente a empresa do Amazonas, que a estatal ainda busca vender.

    O senador Eduardo Braga (MDB-AM), no entanto, apresentou na Comissão de Infraestrutura do Senado um relatório com emenda que vetaria a privatização da subsidiária da Eletrobras no Amazonas, que ele tem defendido que não deveria ser concedida à iniciativa privada neste momento.

    Segundo Bezerra Coelho, o adiamento da votação deve-se a uma decisão dos senadores de votar em um esforço concentrado antes das eleições apenas matérias que não sejam consideradas polêmicas e que tenham consenso entre os senadores.

    A assessoria do parlamentar informou que, com isso, deve ser adiado o leilão da distribuidora da Eletrobras no Amazonas neste mês.

    A Eletrobras já vendeu suas distribuidoras no Piauí, comprada pela Equatorial Energia, no Acre e em Rondônia, adquiridas pela Energisa, e em Roraima, que ficou com a Oliveira Energia.

    Falta à estatal apenas a venda da unidade do Amazonas, a mais deficitária das empresas, que acumulam prejuízos bilionários, e do Alagoas, cuja privatização está suspensa por uma decisão liminar do ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF) após ação do governo alagoano.

    Além de Braga, senador pelo Amazonas e ex-ministro de Minas e Energia, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) também tem se manifestado contra a venda da subsidiária da Eletrobras em seu Estado, apesar de ser do mesmo partido do presidente Michel Temer.

    (Com reportagem adicional de Luciano Costa)

    1. Home
    2. noticias
    3. projeto sobre privatizacao de …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.