Capa do Álbum: Antena 1
A Rádio Online mais ouvida do Brasil
Antena 1
    Veja todas as Notícias.

    Recém-nascido é infectado pelo coronavírus

    30 horas após o nascimento, a criança foi diagnosticada com a doença

    Placeholder - loading - news single img
    Bebês podem ser contaminados pelo novo coronavírus. Crédito da imagem: iStock

    Publicada em  

    Um bebê com apenas 4 dias de vida foi diagnosticado com o novo coronavírus. Esse é o caso mais jovem registrado até o momento. A criança nasceu em Wuhan, capital da província de Hubei, o epicentro do surto viral.

    De acordo com a CCTV (emissora estatal do país asiático), os sinais vitais da criança, que pesa 3,25 kg, são estáveis. A mãe do recém-nascido está infectada, porém médicos da cidade chinesa ainda não sabem dizer se a transmissão ocorreu por meio do útero ou logo após o parto.

    Caso a doença tenha sido contraída durante a gestação, especialistas terão que analisar os resultados, pois se trata de uma nova forma de contaminação. No entanto, o mais possível é que o bebê tenha sido infectado após o nascimento, durante o contato com a mãe.

    A hipótese do setor de epidemiologia da Escola de Saúde Pública Mailman da Universidade de Columbia, é que a criança tenha inalado gotículas de vírus que vieram da tosse da mãe.

    O relatório do “Journal of the American Medical Association” analisou os casos de coronavírus em todo o mundo e concluiu que a idade média entre os pacientes que adquirem a pneumonia viral é entre 49 e 56 anos.

    Mesmo não sendo comum, outros casos de crianças com a doença foram registrados. Em Cingapura, um bebê de seis meses apresentou resultados positivos para o vírus. Uma criança chinesa de 8 anos foi diagnosticada com a doença, quando visitava a Austrália.

    Leia também: Mães podem passar coronavírus para fetos, dizem médicos chineses

    Nova descoberta da doença

    Especialistas afirmaram que as máscaras faciais, que estão sendo muito usadas para evitar o novo coronavírus, não são eficazes. Além de não possuir um filtro de ar, a proteção deixa os olhos a mostra.

    Leia também: Máscaras cirúrgicas e o coronavírus

    Novos estudos que analisam a contaminação do vírus suspeitam que a doença pode ser contraída pelos olhos, e não apenas pelas mucosas da boca e do nariz.

    A Academia Americana de Oftalmologia emitiu um alerta informando que além da pneumonia, o coronavírus pode, também, causar conjuntivite.

    De acordo com o jornal “South China Morning Post”, um médico chinês, especialista em doenças respiratórias, afirmou ter contraído o novo coronavírus pelos olhos, por não ter usado a proteção ocular ao visitar pacientes na cidade de Wuhan.

    A contaminação pelos olhos, realmente, pode acontecer. Segundo especialistas, o canal lacrimal está ligado às vias respiratórias.

    No entanto, o Ministério da Saúde, ainda, não emitiu nenhum alerta sobre a forma de contaminação. A orientação é não ficar próximo de pessoas infectadas, pois, até o momento, a principal fonte de contrair a doença é através do contato físico.

    Para atualizações e informações sobre o novo coronavírus, participe do no grupo do Facebook: clique aqui.

     

    Vulcão Nyiragongo: Crianças esperam reencontrar famílias

    Transcrito: 
    Centenas de milhares de pessoas fugiram após a erupção do vulcão Nyiragongo. Naomi perdeu de vista a família no meio do caos. Ela jamais esquecerá o momento em que o céu ficou vermelho.
     
    Naomi (criança deslocada): ”Disse à minha mãe: ’Olha, mãe, o vulcão entrou em erupção.’ Nós saímos e muitos estavam a fugir. Foi aí que nos perdemos uns dos outros. Eu estava apavorada. Estava a tremer. Não conseguia sequer correr para casa.”
     
    Muitas das 400 mil pessoas que fugiram vieram para a cidade de Sake. De acordo com a ONU, há quase mil crianças desaparecidas. Bahati Batitsie trabalha como voluntário para a Cruz Vermelha. Ate agora, ele e os colegas conseguiram encontrar as famílias de 700 crianças. Bahati tem 6 filhos e acolhe outras 3 crianças. São muitas bocas para alimentar.
     
    Bahati Batitsie Fidel (Voluntário da Cruz Vermelha): “Eu sacrifico o pouco que tenho, o que Deus me deu. É assim que alimento as crianças, mas é uma luta.”
     
    Muitas pessoas estão desesperadas. Bebem a água do lago que pode causar cólera. A equipe humanitária tenta oferecer o básico, como farinha.
     
    Bahati Batitsie Fidel (Voluntário da Cruz Vermelha): “As condições de vida são muito más. Não há comida nos mercados. Pessoalmente, não estou a ganhar nada, sou pobre.”
     
    Naomi acha que sabe onde podem estar os seus pais. Mas esse sítio fica longe e o transporte é caro.
     
    Naomi (criança deslocada): ”Depois de encontrar a minha mãe e o meu pai, gostaria de me mudar para cá, porque gosto de aqui estar."

    A brincar sobre a lava de uma antiga erupção. As crianças esperam rever as suas famílias em breve. 
    Veja também:

    1 D

    1. Home
    2. noticias
    3. recem nascido e infectado …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.