Capa do Álbum: Antena 1
A Rádio Online mais ouvida do Brasil
Antena 1
    Veja todas as Notícias.

    Mudança no tom do Copom, sem menção a alta de juros, não foi acidente, diz Ilan

    Placeholder - loading - news single img

    Publicada em  

    Atualizada em  

    Por Marcela Ayres

    BRASÍLIA (Reuters) - A retirada da menção a eventual início gradual de subida nos juros dos comunicados mais recentes do Banco Central não foi acidente, ressaltou nesta quinta-feira o presidente da autoridade monetária, Ilan Goldfajn, apontando que a assimetria do balanço de riscos de fato diminuiu, mas que o BC está atento sobretudo às tendências para tomar seus próximos passos.

    Em meio à lenta inflação e uma retomada econômica que segue sem fôlego expressivo, o BC apontou na semana passada que a conjuntura econômica prescreve política monetária estimulativa, ou seja, com taxas de juros abaixo da taxa estrutural. Por isso, decidiu manter a Selic em seu piso histórico de 6,5 por cento.

    Mas a autoridade monetária excluiu menção que estava presente em comunicações anteriores, de que 'esse estímulo começará a ser removido gradualmente caso o cenário prospectivo para a inflação no horizonte relevante para a política monetária e/ou seu balanço de riscos apresentem piora'.

    'De fato a retirada (da frase) ocorreu, não foi um acidente, não foi que a gente esqueceu. E o fato de a gente retirar claramente dá um sinal da nossa assimetria. A assimetria caiu, diminuiu, está correto isso, então de fato essa interpretação é correta', disse Ilan.

    Questionado se o atual quadro abre espaço para uma queda adicional dos juros básicos, Ilan respondeu que o BC precisa de cautela, perseverança e serenidade, para que o cenário volátil -- seja de um lado, seja de outro -- não afete sua percepção.

    'Tanto para diminuída, quanto para subida (dos juros), nós temos que olhar ao longo do tempo a tendência', afirmou.

    'Quando a pergunta do mercado, dos analistas, era por que não tinha que apertar (os juros), conjuntura volátil, o câmbio estava depreciando, a pergunta era outra. E acho que nos ajudou ter essa serenidade e olhar para a frente, olhar a tendência ao invés de olhar o curto prazo. Então isso vale para um lado e vale para o outro também', acrescentou.

    Em relação à atuação recente do BC no mercado de câmbio, com anúncios de leilão de linha, o presidente do BC afirmou que ela é mais pautada por uma questão sazonal, para dar liquidez em períodos em que há pressão maior por questões de remessas de lucros e dividendos. Ele pontuou ainda que o BC optou pelo mesmo caminho -- e volumes ofertados -- no fim do ano passado.

    Durante a coletiva, ele reforçou que apesar de o BC ter aumentado em seu balanço o risco do nível de ociosidade elevado produzir trajetória prospectiva para a inflação abaixo do esperado, também vendo chances menores de frustração das expectativas sobre a continuidade das reformas econômicas, o risco altista ligado ao cenário internacional segue forte.

    'Não estamos vendo redução do risco externo. O risco externo está elevado e continua elevado. Ao longo do ano nós tivemos um risco maior para economias emergentes, eu acho que agora temos um risco um pouco mais global', disse ele, citando preocupações sobre como a economia mundial vai se comportar.

    'Isso se soma àqueles conflitos comerciais que nós temos observado ao longo do ano, o último deles foi a disputa Estados Unidos e China que ainda está em andamento', completou.

    (Por Marcela Ayres)

    Escrito por Thomson Reuters

    Últimas Notícias

    Placeholder - loading - Imagem da notícia 6 músicas internacionais que têm samples de outras canções

    6 músicas internacionais que têm samples de outras canções

    Sample é um termo bastante conhecido no mundo da música, especialmente por compositores, cantores e gravadoras. Mas a verdade é que isso talvez seja algo que esteja guardado apenas para os profissionais da área. Sendo assim, esta matéria foi preparada para informar o leitor, com uma linguagem fácil para todos tenham conhecimento.

    A criação de uma música é muito mais complicada e detalhada do que o ouvinte comum acha. O glamour para os cantores e bandas, como premiações, discos de ouro e platina são apenas o final de um trabalho longo e extenso. Como, sabemos que para uma produção de música, uma equipe com vários profissionais é acionada.

    Para entender o sample, devemos voltar lá na origem do artificio, que teve notoriedade na década de 80, justamente com o crescimento das músicas eletrônicas e os arranjos, em versões de remix.

    Por mais moderno que possa parecer, uma técnica de samplear as faixas musicais são muito mais antigas do que pensamos. As primeira tentativas e estudos originaram o termo, surgiram na década de 40.

    Os franceses teóricos da música Pierre Schaefer e Pierry Henry, foram os pioneiros na preparação da chamada Musique Concrèt, que em resumo é arte de modificar um som.

    Como o próprio diz, o significado de Sample, do inglês para o português é basicamente “amostra”, e essa amostra é uma forma utilizada pelos produtores, em uma criação musical. Diferente do remix, o sample é uma base de um faixa já existente. Para deixar mais fácil para o entendimento.

    Quando um musico pega um violão para compor as primeiras notas de uma obra, ele levará para uma gravadora e produtor musical, e incluir aquele curto trecho instrumental na canção. Essa gravação do violão é uma amostra fica gravada, para o inicio da criação.

    O Sample não está limitado apenas nas gravações instrumentais, mas as vozes são muito presentes também. Muitos produtores usam de uma musica já existente para a elaboração de uma nova.

    Por isso, em algumas situações, é notório quando o ouvinte aprecia uma canção, e assemelha a mesma com outra. Assim, ‘samplear’ pode ser considerado uma forma de homenagear o criador.

    Músicas que utilizam sample

    Madonna - 'Hung Up'

    Do ritmo conhecido e apreciado por muitos, o single ‘Gimme ,Gimme, Gimme’ da banda aclamada ABBA, a diva Madonna, não economizou na homenagem ao grupo sueco. ‘Hung Up’ virou de fato um sucesso em 2005, e talvez poucos sabiam dessa similaridade.



    Confira a versão do ABBA:



    Beyoncé - 'All Night'

    A base feita pela estrela Beyoncé em ‘All Night’ foi de fato uma bela combinação com ‘Spottieottiedopaliscious’. A canção original veio da dupla de rappers americanos, Outkast.



    Confira a versão da dupla Outkast:



    Jennifer Lopez - 'Jenny From The Block'

    O grupo americano de hip hop, The Beatnuts, emprestou um de seus exemplares, ‘Watch Out Now’, para a cantora, compositora e atriz Jennifer Lopez. A batida presente na canção da J.Lo é mais um exemplo da utilização do sample. E vale ressaltar que isso não falta de criatividade, e sim uma admiração e homenagem.



    Confira a versão do grupo The Beatnuts:



    Ariana Grande - '7 Rings'

    Ariana Grande voltou ao passado e utilizou 'My Favorite Things', do clássico 'A Noviça Rebelde' em sua música "7 Rings".    

    6 H
    1. Home
    2. noticias
    3. retirada de mencao a subida …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.