Capa do Álbum: Antena 1
A Rádio Online mais ouvida do Brasil
Antena 1
    Veja todas as Notícias.

    Serviços do Brasil permanecem em contração em fevereiro com alta de preços e cortes de vagas, mostra PMI

    Placeholder - loading - news single img
    Comércio no Rio de Janeiro (RJ) 29/06/2020 REUTERS/Lucas Landau

    Publicada em  

    Atualizada em  

    Por Camila Moreira

    SÃO PAULO (Reuters) - A pandemia de coronavírus continuou pesando e a atividade do setor de serviços brasileiro permaneceu em contração em fevereiro, com forte aumento dos preços e cortes de emprego pelo terceiro mês, de acordo com a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) divulgada nesta quarta-feira.

    O IHS Markit informou que seu PMI de serviços para o Brasil subiu apenas marginalmente a 47,1 em fevereiro, de 47,0 em janeiro, permanecendo pelo segundo mês seguido abaixo da marca de 50 --que separa crescimento de contração.

    A pandemia de Covid-19 foi considerada a principal responsável pela contração da produção e pelo número mais baixo de novas encomendas.

    'O setor de serviços do Brasil sofreu outro revés em fevereiro. Com a pandemia de Covid-19 desencorajando as encomendas pelo segundo mês seguido, a atividade continuou a contrair', afirmou a diretora associada de economia do IHS Markit, Pollyanna De Lima.

    A queda das vendas totais foi concentrada no mercado doméstico, uma vez que os novos negócios de exportação aumentaram, ainda que ligeiramente, depois de queda no mês anterior.

    A inflação foi destaque no mês de fevereiro. Os fornecedores de serviços do país relataram preços mais altos de alimentos, combustíveis, transportes, serviços públicos e equipamentos de proteção pessoal. A taxa de inflação permaneceu elevada, mesmo tendo atingido o menor patamar em quatro meses.

    Com os custos mais altos nos últimos meses e as empresas buscando proteger as margens, os preços cobrados aumentaram em fevereiro à taxa mais forte em quase cinco anos e meio.

    Essa combinação levou empresários a cortar empregos durante fevereiro pelo terceiro mês seguido.

    Ainda assim, as empresas mantiveram uma visão otimista sobre o futuro, com quase 41% dos participantes prevendo crescimento da produção nos próximos 12 meses, enquanto 4% veem contração.

    O motivo de otimismo é o programa de imunização contra a Covid-19, que deve dar apoio à recuperação econômica, na opinião dos entrevistados, bem como reformas do governo e esforços de marketing.

    A fraqueza do setor de serviços pressionou a atividade empresarial brasileira como um todo, mesmo com o crescimento da indústria acelerando em fevereiro. Mas o chamado PMI Composto subiu para 49,6 em fevereiro, de 48,9 em janeiro, indicando uma 'marginal taxa de redução' da atividade empresarial geral, segundo o Markit.

    'As empresas brasileiras têm esperanças de que mais vacinas contra a Covid-19 serão administradas, encerrando a pandemia e permitindo a recuperação econômica. A confiança empresarial melhorou entre fornecedores de serviços e produtores de bens', completou De Lima.

    Escrito por Reuters

    1. Home
    2. noticias
    3. servicos do brasil permanecem …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.