alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    Trump diz que 'assassinos particulares' podem estar por trás de desaparecimento de jornalista saudita

    Por Thomson Reuters

    Placeholder - loading - news single img

    Por Roberta Rampton

    WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, enviou nesta segunda-feira o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, para se encontrar com o rei Salman, da Arábia Saudita, para debater o desaparecimento misterioso do proeminente jornalista saudita Jamal Khashoggi, e aventou a possibilidade de 'assassinos particulares' serem os responsáveis.

    Trump disse ter conversado por telefone durante cerca de 20 minutos com o rei saudita a respeito de Khashoggi, que desapareceu depois de entrar no consulado saudita em Istambul em 2 de outubro, e que pareceu que nem o rei Salman nem o príncipe Mohammed bin Salman tinham informações sobre o incidente.

    Fontes da Turquia disseram acreditar que Khashoggi foi assassinado dentro do edifício diplomático e que seu corpo foi removido. O governo saudita descartou as alegações, afirmando serem infundadas.

    'Para mim pareceu que talvez podem ter sido assassinos particulares. Quem sabe?', disse Trump a repórteres na Casa Branca, sem oferecer indícios que expliquem por que acredita que assassinos particulares podem estar envolvidos.

    Representantes da Casa Branca não responderam de imediato a um pedido adicional de comentário.

    Pompeo viajará a Riad, informou o Departamento de Estado.

    'O presidente pediu uma investigação imediata e aberta sobre o desaparecimento do jornalista do Washington Post Jamal Khashoggi', disse a porta-voz do departamento, Heather Nauert, em um comunicado.

    'Não deixaremos nada descoberto', disse Trump a repórteres.

    Mas a negação de Salman 'não poderia ter sido mais forte', acrescentou.

    No final de semana Trump ameaçou uma 'punição grave' a Riad caso se descobrisse que Khashoggi, crítico destacado das autoridades sauditas e morador legal dos EUA, foi morto no consulado saudita em Istambul. A Arábia Saudita, por sua vez, ameaçou retaliar.

    Mas Trump disse estar relutando em suspender as vendas militares norte-americanas a Riad por causa do incidente.

    Na manhã desta segunda-feira Salman ordenou uma investigação interna sobre o sumiço de Khashoggi, e uma equipe conjunta turco-saudita deve fazer uma busca no consulado.

    Segundo Trump, o monarca saudita lhe disse nesta segunda-feira que os dois países estão trabalhando estreitamente no caso.

    1. Home
    2. noticias
    3. trump diz que assassinos …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.