Capa do Álbum: Antena 1
A Rádio Online mais ouvida do Brasil
Antena 1
Ícone seta para a esquerda Veja todas as Notícias.

ANÁLISE-Com perdão a Silveira, Bolsonaro coloca STF na defensiva e reforça estratégia para se manter no poder

Placeholder - loading - Presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia no Palácio do Planalto 18/04/2022 REUTERS/Adriano Machado
Presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia no Palácio do Planalto 18/04/2022 REUTERS/Adriano Machado

Publicada em  

Por Eduardo Simões e Gabriel Stargardter

SÃO PAULO/RIO DE JANEIRO (Reuters) - Ao abrir um novo capítulo na série de embates que trava com o Supremo Tribunal Federal (STF) com o perdão ao deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ), o presidente Jair Bolsonaro inicia também mais uma etapa de uma estratégia que busca viabilizar sua permanência no poder.

Analistas avaliam que Bolsonaro, autor de ataques frequentes ao Supremo e a alguns ministros da corte, busca mais uma vez alimentar a narrativa junto a seus apoiadores mais aguerridos de que precisa lutar contra um sistema que o impede de implementar suas políticas.

'A estratégia é muito simples, ela envolve construir meios e ações para que Bolsonaro não precise largar o osso, que ele possa ter o maior período possível com poder simbólico e prático, seja sendo reeleito ou por qualquer outro meio', disse à Reuters o consultor político e CEO da Dharma Political Risk, Creomar de Souza.

'Esse é o ponto fundamental da estratégia, acho que todo mundo hoje concorda. Acho que a gente acaba namorando um pouco com o elemento má-fé ou com a ignorância/ingenuidade ao lidar com o fato de que alguém acha que Bolsonaro não quer construir meios e instrumentos para permanecer o máximo de tempo possível com o poder em mãos', acrescentou.

O histórico do presidente, com idas e vindas em seus embates com o Judiciário, também aponta para este objetivo. Às vésperas do feriado de 7 de Setembro do ano passado, Bolsonaro elevou o tom contra o STF, insistiu sem apresentar evidências, em questionar a lisura do sistema de votação e afirmou que poderia descumprir decisões judiciais, algo que voltou a repetir nesta semana.

Desde então, no entanto, havia arrefecido seus ataques tanto ao Supremo quanto ao sistema de votação.

Agora, com a eleição de outubro se aproximando e as pesquisas mostrando uma derrota num eventual segundo turno contra o atual líder da corrida, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Bolsonaro volta à carga.

'Bolsonaro deixa claro que a trégua acabou, e que ele voltará a transformar a contestação ao tribunal em uma das importantes pautas de mobilização de sua campanha. Essa estratégia lhe servirá em caso de vitória, mas também de derrota', disse à Reuters o professor de Direito da Universidade de São Paulo (USP) Rafael Mafei.

'Se vencer as eleições de outubro, não há dúvidas de que uma das grandes metas do segundo mandato de Bolsonaro será intervir no STF de todas as maneiras possíveis. Se perder, ele terá construído a narrativa de que é perseguido por juízes políticos e usará isso para não aceitar o resultado das eleições que, no sistema brasileiro, são administradas pelo Poder Judiciário', explicou.

ANSEIO POLÍTICO

Para o CEO da Dharma, a movimentação de Bolsonaro também atende aos propósitos de mostrá-lo a seus apoiadores como um 'homem de ação', ao sequer esperar que o processo de Silveira tramitasse em julgado para conceder a graça constitucional, e de colocar a Suprema Corte na defensiva.

'Porque não importa o que o STF fizer em termos de interpretação da decisão, Bolsonaro é o vencedor. De outro lado, ele manda um recado muito claro para seus apoiadores de que estes não estarão sozinhos caso partam para o enfrentamento às instituições', disse Creomar.

O consultor também chama atenção para a falta de reação do establishment político à medida de confrontação aberta adotada pelo presidente.

'A decisão de Bolsonaro ao final do dia atende também à maioria absoluta dos representantes do Congresso Nacional, que há algum tempo buscavam meios de se contrapor àquilo que eles acham que é um excessivo ativismo judiciário em ações do Legislativo', disse.

'O STF tentou traçar uma linha de até onde os parlamentares poderiam ir em termos de liberdade de expressão, Bolsonaro dá a graça constitucional, a reação do sistema político --que também queria alguma contenção do STF-- é de dizer 'esse é o ato mesmo'', avaliou.

Diante da mais recente crise entre Poderes, cria-se um 'desenho alarmante em termos de risco político', nas palavras de Creomar. Ao mesmo tempo em que se consolida um cenário em que os Poderes da República buscam consolidar sua independência, o fazem em detrimento da harmonia entre eles preconizada na Constituição.

'A gente tem uma situação hoje em que a democracia nacional é uma democracia de confrontação de corporações em busca de poder ou de sobrevivência', disse.

Procurado pela Reuters, o Palácio do Planalto não respondeu de imediato a pedido de comentário.

(Reportagem adicional de Anthony Boadle, em Brasília)

Escrito por Reuters

Últimas Notícias

Placeholder - loading - Imagem da notícia Casa frequentada por Shakespeare é cotada por R$ 9,2 milhões no Reino Unido

Casa frequentada por Shakespeare é cotada por R$ 9,2 milhões no Reino Unido

Localizada a duas horas de Londres, a Shakespeare House foi avaliada por £ 1,5 milhão na última quarta-feira (10). A residência, conhecida como “The Ship Inn”, era uma pequena pousada que atendia viajantes que precisavam de uma cama e um celeiro para seus cavalos. O dramaturgo inglês, William Shakespeare, era um grande frequentador do espaço em meio as suas viagens entre Stratford Upon Avon - onde nasceu - e Londres.

A casa histórica de 4.642 pés quadrados é uma antiga “estalagem de treinadores” e foi construída entre o final do século XVI e início do século XVII. O espaço comporta sete quartos, cinco banheiros e quatro salas. Hoje o edifício foi completamente restaurado por seus proprietários, porém mantém uma série de detalhes completamente originais, como: janelas de chumbo, vigas expostas, piso de carvalho, portas de madeira e lareiras abertas.

Shakespeare House é uma propriedade tão mágica, tem muito caráter e ainda assim é uma maravilhosa casa de família”, disse o agente Huw Warren, da Savills Summertown, em um comunicado. “Mas além da casa ser arquitetonicamente importante e maravilhosamente renovada está a extraordinária conexão com Shakespeare, tornando esta casa uma oportunidade única. Poucos podem reivindicar possuir um pedaço real da história literária que foi onde o Bardo ficou em várias ocasiões”.

Dizem que foi neste local que o poeta se inspirou em hóspedes para criar os personagens das obras "Muito Barulho por Nada" e "Sonho de uma Noite de Verão"- e pode até ter escrito algumas peças lá.

A última venda da casa foi em 2013, pelo valor de £ 700.000. O edifício tem uma lista histórica de Grau II*, o que significa que o grupo de preservação Historic England o designou como um local de importância histórica no país.

“Acredita-se geralmente que Grendon Underwood, que jazia nas trilhas da floresta usadas por ciganos e jogadores ambulantes, foi visitado mais de uma vez por Shakespeare, que morava na casa acima, antigamente uma pousada., agora conhecido como Shakespeare Farm”, de acordo com o site “A History of the County of Buckingham: Volume 4”, no British History Online.

Shakespeare’s Birthplace

A casa onde nasceu o um dos maiores escritores da língua inglesa também é um local extremamente importante para a história, sendo atualmente um pequeno museu aberto ao público. A residência é bastante popular entre os visitantes, e fica localizada Henley Street, Stratford-upon-Avon, Warwickshire, Inglaterra.

Foi lá que em 1564 o poeta nasceu e passou sua infância, hoje o edifício é administrado pelo Shakespeare Birthplace Trust. Apesar de parecer simples, para o século XVI a residência era bem considerável. Como o pai do escritor, John Shakespeare, era fabricante de luvas e comerciante de lã, a casa foi dividida em duas partes para permitir que ele realizasse seus negócios nas mesmas instalações.

John Shakespeare morreu em 1601 e sendo o filho mais velho sobrevivente, William herdou a casa. Ele alugou a pequena casa de dois cômodos ao lado da casa principal para sua irmã, Joan Hart. O restante do lar da família também foi alugado e se tornou uma pousada, nomeada Maidenhead.

Mais tarde, foi renomeada para Swan and Maidenhead Inn, que permanece em operação até 1847. Quando Shakespeare morreu em 1616, ele deixou a propriedade para sua filha mais velha, Susanna, e quando ela morreu deixou para sua única filha, Elizabeth.

É possível visitar o espaço com um pré-agendamento que pode ser feito clicando aqui.

Confira o valor dos tickets:

Adulto (16+, incluindo idosos) – Com doação £20,00 e sem doação £18,00

30 min
Placeholder - loading - Imagem da notícia Remédios contra monkeypox, novo Conselho da Petrobras e mais desta sexta

Remédios contra monkeypox, novo Conselho da Petrobras e mais desta sexta

Confira um resumo das principais notícias do Brasil e do mundo!

Nacional

A Petrobras realiza nesta sexta-feira a Assembleia Geral de Acionistas para eleger um novo Conselho de Administração. O governo ficará com 6 das 11 cadeiras do colegiado. 2 dos indicados foram reprovados pelo Comitê de Elegibilidade por conflito de interesses.

Termina hoje o prazo para os candidatos selecionados no Fies do segundo semestre complementarem as informações da inscrição. O processo deve ser realizado no portal Acesso Único, do Ministério da Educação. As convocações da lista de espera devem começar na próxima segunda-feira.

A Anvisa liberou nesta sexta-feira a importação de medicamentos e vacinas contra a varíola dos macacos ainda sem registro no Brasil. A medida tem caráter excepcional e temporário. A autorização é válida para fórmulas aprovadas por determinadas autoridades internacionais e com boas práticas de fabricação.

Uma pesquisa da Fiocruz Minas mostrou que a vitamina B12 pode atenuar a infecção causada pela Covid. O estudo avaliou a capacidade da substância de regular o processo inflamatório desencadeado pelo vírus no organismo. Os pesquisadores compararam amostras de sangue de pessoas saudáveis e de pacientes hospitalizados com quadros graves e moderados da doença.

O Supremo Tribunal Federal formou maioria pela aplicação da nova Lei de Improbidade Administrada nos processos em que ainda cabe recurso. Com as mudanças feitas no ano passado, passou a ser exigida a comprovação de dolo, ou seja, a intenção do agente público de cometer a irregularidade. Pela decisão, a nova lei não pode ser aplicada em casos já encerrados.

2 H
  1. Home
  2. noticias
  3. analise com perdao a silveira …

Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.