alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    Bolsonaro admite privatizar 'alguma coisa' da Petrobras e diz que empresa é 'estratégica'

    Por Thomson Reuters

    Placeholder - loading - news single img

    Atualizada em

    RIO DE JANEIRO (Reuters) - O presidente eleito Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira que 'alguma coisa' da Petrobras pode ser privatizada, mas não toda a estatal, uma vez que se trata de uma empresa estratégica.

    Em entrevista a jornalistas no Rio de Janeiro, Bolsonaro disse ainda que o atual presidente da Petrobras, Ivan Monteiro, pode assumir a presidência o Banco do Brasil, mas que isso ainda não está confirmado.

    Nesta segunda-feira, o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou que o economista Roberto Castello Branco vai presidir a Petrobras no governo de Bolsonaro.

    Bolsonaro disse que vem conversando com Guedes sobre a possibilidade de privatizar setores da Petrobras, mas garantiu que não pretende vender completamente a estatal em seu mandato.

    'É uma empresa estratégica e nós estamos conversando sobre isso aí', disse ele na porta do condomínio onde mora numa tumultuada entrevista.

    'Estou conversando com ele (Guedes) e não sou o inflexível, mas temos que, com muito responsabilidade, levar avante um plano como esse aí. Podemos conversar, agora, entendo que uma empresa estratégica pode ser privatizada em parte, sim.'

    Mais cedo, o vice-presidente eleito, general da reserva do Exército Hamilton Mourão, disse em Brasília que atividades de refino e de distribuição da Petrobras podem vir a ser privatizadas. Na semana passada, em conferência com investidores, Mourão falou da possibilidade de privatização da BR Distribuuidora.

    Bolsonaro disse também que ainda não definiu o destino de Monteiro em seu governo, mas admitiu que ele pode assumir o comando do Banco do Brasil, onde já atuou,

    'Talvez ele vá para o Banco do Brasil, mas não tenho certeza', disse.

    Bolsonaro disse que o time para a área econômica de seu governo --que já tem Guedes, Castello Branco, Roberto Campos Neto, que assumirá o Banco Central; Joaquim Levy, que chefiará o BNDES; e Mansueto Almeida, que seguirá à frente da Secretaria do Tesouro-- é testado pelo mercado financeiro que, em sua avaliação, vem reagindo bem às escolhas.

    (Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)

    1. Home
    2. noticias
    3. bolsonaro admite privatizar …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.