Capa do Álbum: Antena 1
A Rádio Online mais ouvida do Brasil
Antena 1
    Veja todas as Notícias.

    Esperança de Biden em agenda democrata depende de 2º turno na Geórgia

    Placeholder - loading - Candidato democrata a uma cadeira no Senado dos EUA pela Geórgia, reverendo Raphael Warnock, durante evento em Atlanta 03/11/2020 Jessica McGowan/Pool via REUTERS
    Candidato democrata a uma cadeira no Senado dos EUA pela Geórgia, reverendo Raphael Warnock, durante evento em Atlanta 03/11/2020 Jessica McGowan/Pool via REUTERS

    Publicada em  

    Por Susan Cornwell

    WASHINGTON (Reuters) - A esperança do presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, de impulsionar grandes prioridades democratas, como ampliar o acesso à saúde, combater a mudança climática e proporcionar mais ajuda contra o coronavírus, dependerá de disputas ao Senado na Geórgia em janeiro.

    Os democratas não atingiram a meta de obter uma maioria no Senado, e até perderam assentos na Câmara dos Deputados, deixando os republicanos em boa situação para frear grandes iniciativas legislativas de Biden.

    Isso impõe ao Partido Democrata a tarefa árdua de tentar tomar os lugares de dois senadores republicanos justamente em um Estado de inclinação republicana no qual o próprio Biden tem uma vantagem pequena sobre o presidente, Donald Trump, em meio à contagem de votos ainda em andamento.

    'Vamos vencer na Geórgia, depois mudamos o mundo', declarou o líder democrata no Senado, Chuck Schumer, em Nova York no sábado. O governador republicano da Geórgia, Brian Kemp, também ressaltou a votação de janeiro, pedindo que os correligionários se unam e dizendo que 'a luta está longe de ter acabado'.

    Os republicanos parecem prestes a manter ao menos 50 das 100 cadeiras do Senado no ano que vem, supondo que suas dianteiras na Carolina do Norte e no Alasca se mantenham – o que torna vitórias nos segundos turnos da Geórgia cruciais para os democratas controlarem o Senado. A vice-presidente eleita, Kamala Harris, pode dar o voto de desempate no Senado.

    David Perdue, senador republicano da Geórgia que está buscando um segundo mandato, recebeu 49,8% dos votos, e o democrata Jon Ossoff outros 47,9%.

    Na outra disputa, o reverendo democrata negro Raphael Warnock teve 32,9% dos votos e a senadora republicana Kelly Loeffler 25,9%. Já o deputado republicano Doug Collins só obteve 20% dos votos e não foi para o segundo turno.

    A Geórgia não elege um senador democrata há duas décadas, mas a demografia em transformação e os desempenhos democratas cada vez melhores nas últimas disputas levam a crer que o partido tem chance de vencer os segundos turnos de 5 de janeiro, dizem cientistas políticos.

    Mas estas possibilidades dependerão muito de se manter os eleitores engajados, disse Andra Gillespie, professora de Ciência Política da Universidade Emory – e a montagem do gabinete de Biden e suas diretrizes políticas enfrentarão águas turbulentas se os republicanos mantiverem a maioria do Senado.

    (Reportagem adicional de Andy Sullivan)

    ((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447759)) REUTERS ES

    Escrito por Reuters

    Últimas Notícias

    1. Home
    2. noticias
    3. esperanca de biden em agenda …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.