alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    Estudo indica que cirurgia para redução de peso pode trazer outros benefícios

    O procedimento seria também responsável por reverter o quadro de pessoas diabéticas.

    Placeholder - loading - news single img
    Peso, fita métrica e um legume (Foto: Pixabay)

    2386

    Publicada em  

    Durante décadas, a perda de peso tem sido apontada como peça importante para a redução do risco de doenças cardíacas. Até então, dados apontavam que tanto mudanças no estilo de vida, incluindo dieta e exercício, como medicamentos e cirurgia para a perda de peso podiam melhorar os fatores de risco para a obesidade e diabetes, por exemplo.

    Mas dados que apoiam os benefícios de qualquer uma dessas abordagens na redução realmente das taxas de problemas cardíacos, como ataque cardíaco e fibrilação atrial, ou na redução de mortes precoces por doenças cardíacas, foram menos robustos.

    Agora, um novo estudo, publicado em 2 de setembro no Journal of the American Medical Association (JAMA) e apresentado simultaneamente na reunião anual da Sociedade Europeia de Cardiologia, sugere que a cirurgia para perda de peso pode reduzir as taxas de ataque cardíaco, insuficiência cardíaca, fibrilação atrial e AVC e de mortalidade por qualquer causa em um grande grupo de pacientes em risco.

    Uma equipe de pesquisadores liderada pelo Dr. Ali Aminian, professor associado de cirurgia da Cleveland Clinic, nos EUA, analisou pacientes obesos com diabetes tipo 2 – que corriam maior risco de desenvolver problemas cardíacos. Entre mais de 2.200 pacientes que foram submetidos a qualquer tipo de cirurgia para perda de peso, os eventos relacionados ao coração caíram 39% em oito anos de acompanhamento e as mortes por qualquer causa diminuíram 41% em comparação a um grupo de controle.  

    "Como cardiologista, não me lembro de nenhum estudo com esse efeito de tratamento", diz o Dr. Steven Nissen, presidente de medicina cardiovascular da Cleveland Clinic e autor sênior do estudo. "O que isso me diz é que a mortalidade relacionada ao coração associada ao diabetes e obesidade é reversível com o procedimento correto".

    A magnitude da redução de eventos cardíacos e mortes sugere que os benefícios da cirurgia podem se estender além daqueles atribuídos apenas à perda de peso. "Existem alterações neuro-hormonais que observamos após esses procedimentos que podem ter efeitos metabólicos e benefícios significativos para os pacientes", diz Arminian.

    A maioria dos participantes do estudo que foram submetidos a cirurgia para perda de peso foi submetida a bypass gástrico. Trata-se de uma operação na qual os cirurgiões diminuem o tamanho do estômago, criando uma pequena bolsa a partir de seus tecidos e deslocando os alimentos dessa bolsa para o intestino grosso.

    Os pesquisadores descobriram que, depois que os pacientes tiveram seus tratos digestivos redirecionados, houve mudanças no padrão de hormônios produzidos por seus corpos. A cirurgia pareceu restaurar parte da resposta normal à insulina, por exemplo. Arminian descobriu, inclusive, que muitos pacientes não precisavam mais de insulina até o final do período do estudo. Além disso, a parcela de pacientes que dependem de medicamentos para diabéticos não insulínicos também caiu pela metade, de 80% para quase 40%.

    A cirurgia para perda de peso e, em particular, o desvio gástrico, também pode alterar a composição de bactérias saudáveis ??que vivem no intestino. Estudos anteriores mostraram que pessoas com diabetes têm diferentes espécies de bactérias no trato digestivo em comparação com pessoas sem diabetes, o que pode influenciar a maneira como seus corpos respondem aos açúcares. Em outra pesquisa em seu laboratório, Arminian tirou amostras fecais de pacientes pré e pós-cirurgia e as transferiu para ratos. Os animais que receberam amostras de pacientes antes da cirurgia tenderam a se tornar obesos e desenvolver diabetes e síndrome do fígado gordo, enquanto os que receberam amostras de pacientes três meses após a cirurgia para perda de peso se mantiveram saudáveis.

    Esses achados, juntos, sugerem fortemente que o tratamento da obesidade entre os diabéticos pode reverter parte de seu risco de doença e morte precoce, mas que a perda de peso sozinha, principalmente por meio de mudanças no estilo de vida, como dieta e exercícios, pode não ser suficiente.

    "Não é apenas um fator. A perda de peso é importante, os hormônios intestinais são importantes e o microbioma é importante ”, diz Arminian. "Todos eles trabalham juntos como uma orquestra para melhorar a condição metabólica do paciente".

    Ele e Nissen concordam que a cirurgia para perda de peso pode não ser uma opção para todos os pacientes diabéticos com sobrepeso ou obesidade, mas os dados sugerem que ela pode ser considerada para mais pessoas nos próximos anos. Como o estudo não atribuiu aleatoriamente pacientes diabéticos à cirurgia ou ao grupo controle, mas contou com um conjunto de controles correspondentes para comparação, o próximo passo na confirmação dos resultados seria a realização de um estudo randomizado. Se essas descobertas corroborarem com isso, um argumento mais forte pode ser o caso de considerar a cirurgia para perda de peso para mais pessoas.

    1. Home
    2. noticias
    3. estudo indica que cirurgia …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.