Capa do Álbum: Antena 1
A Rádio Online mais ouvida do Brasil
Antena 1
Ícone seta para a esquerda Veja todas as Notícias.

Governo não descarta Orçamento de Guerra para pagar Auxílio Brasil, diz fonte

Placeholder - loading - Pessoas esperam em fila para tentar receber pagamento do auxílio emergencial em agência da Caixa no Rio de Janeiro 29/05/2020 REUTERS/Ricardo Moraes
Pessoas esperam em fila para tentar receber pagamento do auxílio emergencial em agência da Caixa no Rio de Janeiro 29/05/2020 REUTERS/Ricardo Moraes

Publicada em  

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O governo não descarta a possibilidade de ter que lançar mão do Orçamento de Guerra mais um vez para conseguir viabilizar o pagamento do Auxílio Brasil, mas considera essa alternativa 'caótica' para as questões fiscais e ainda tentará esta semana atrair votos para a aprovação da PEC dos Precatórios, de acordo com uma fonte com conhecimento das negociações.

A Proposta de Emenda à Constituição dos Precatórios abriria um espaço fiscal para que o governo consiga viabilizar o auxílio de 400 reais através da mudança no cálculo do teto de gastos e de um novo regime para o pagamento de precatórios.

O texto foi aprovado na Câmara e pode ser votado na terça-feira na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, mas ainda enfrenta resistência para passar pelo plenário da Casa.

Segundo a fonte, cálculos do governo apontam que faltam 'dois ou três votos' para que a PEC seja aprovada no Senado -- para isso, são necessários 49 votos de 81.

Caso o governo saia derrotado, não haverá outra alternativa senão apelar mais um vez para o Orçamento de Guerra, que autoriza o descumprimento de parâmetros e limitações fiscais.

'Sem a PEC dos Precatórios não tem jeito. É Orçamento de Guerra. Mas não pense que se não aprovar a PEC é só fazer a PEC da Guerra e pronto. Será o caos, pois além de novos gastos com saúde, emprego e renda, teremos que pagar 90 bilhões de reais de precatórios', disse a fonte.

'A PEC da Guerra pode ser a senha para o caos. A PEC dos Precatórios dá uma previsibilidade para as despesas', completou.

A PEC de Orçamento de Guerra já foi usada pelo governo em 2020 para adoção de medidas e iniciativas para enfrentar as consequências sociais e econômicas da pandemia de Covid-19.

As conversas e negociações em torno da PEC dos Precatórios caminham no momento em duas direções, segundo a fonte, que falou sob condição de anonimato. Alguns senadores sugerem que as dívidas que deram origem aos precatórios de 90 bilhões de reais sejam 'escancaradas' e bem esclarecidas à sociedade.

A proposta poderia ajudar, de acordo com a fonte, a atrair o apoio de senadores para a PEC dos Precatórios. 'Entramos esta semana na reta final. Está apertado. Por dois ou três votos. Há cálculos que dizem que temos 45, 46 votos, mas nosso pessoal fala entre 49 e 51 votos a favor', disse. 'Esta semana será decisiva.'

A fonte destaca, no entanto, que no âmbito das negociações sobre a PEC dos Precatórios, há um outro movimento propondo um novo Refis para que a proposta seja aprovada no Senado.

Essa proposta teria sido encaminhada também a lideranças da Câmara dos Deputados, mas não conta com a simpatia nem com o aval do governo nem da equipe econômica, de acordo com a fonte.

Ao mesmo tempo, a descoberta de uma nova variante da Covid-19, a ômicron, que pode ser resistente a vacinas, deixa o governo em estado de alerta.

Caso ela represente um 'novo ataque' à saúde da economia brasileira, o governo tentará acelerar as reformas para proteger o país, afirmou a fonte.

'Se estivermos numa guerra, vamos nos comportar como se estivéssemos numa guerra. Podemos acelerar desestatização de empresas, colocar empresas no Novo Mercado para robustecer o caixa', disse.

Escrito por Reuters

Últimas Notícias

Placeholder - loading - Imagem da notícia “ABBA Gold”: 30º aniversário do álbum é celebrado com edição especial

“ABBA Gold”: 30º aniversário do álbum é celebrado com edição especial

Após de três décadas do lançamento do projeto de grandes sucessos do ABBA, o quarteto anuncia a nova versão que celebra o aniversário do disco. A coleção dos grandes hits, “ABBA Gold” está prevista para ser divulgada no dia 23 de setembro e conta com canções como 'Dancing Queen', 'Take A Chance On Me', 'Mamma Mia', 'Super Trouper', 'Fernando', 'Waterloo' e 'The Winner Takes It All'.

O disco da banda sueca é uma das produções mais bem sucedidas na indústria da música, tendo vendido mais de 32 milhões de unidades ao redor do mundo. Outro marco impressionante, é o álbum ter sido o segundo mais vendido de todos os tempos no Reino Unido passando mais de 1.055 semanas no Official UK Albums Chart. Com isso, tornou-se o álbum mais antigo no Official Albums Chart Top 100 de todos os tempos.

Originalmente, o trabalho de 19 faixas foi lançado em 21 de setembro de 1992, e já foi reeditado diversas outras vezes. Um exemplo disso foi a remasterização do disco em 2010, que também foi reembalado para coincidir com o lançamento do filme musical inspirado no ABBA, “Mamma Mia!”

Para marcar a primeira divulgação desse álbum tão emblemático, sua edição comemorativa virá em múltiplos formatos, que serão: 2 novos LPs Picture Disc de vinil pesado, alojado em capa dobrável cortada; novo cassete dourado – também disponível em preto; e ouro 2LP – vinil dourado 2 x 180g. A nova edição limitada do ABBA também já está disponível para pré-encomenda aqui.



O grupo, composto por Björn Ulvaeus, Benny Andersson, Agnetha Fältskog e Anni-Frid Lyngstad, lançou sua última obra em novembro do ano passado. Intitulado “Voyage”, o nono disco de estúdio rendeu muita visibilidade à banda – já que estreou na segunda posição da Billboard 200. Além disso, o primeiro single do álbum, "I Still Have Faith in You", rendeu ao grupo sua primeira indicação ao Grammy.

12 H
  1. Home
  2. noticias
  3. governo nao descarta …

Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.