alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    Haddad diz que não interessa a ninguém eleição fraudada por informações falsas

    Por Thomson Reuters

    Placeholder - loading - news single img

    SÃO PAULO (Reuters) - O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad voltou a criticar a campanha do adversário Jair Bolsonaro (PSL) pelo volume de notícias falsas distribuídas pelas redes sociais contra sua candidatura e disse que não interessa a ninguém uma eleição fraudada dessa forma.

    Para o petista, a Justiça precisa ser mais ágil para retirar material falso do ar.

    'Nós não estamos atuando nas redes sociais como eles. Nós temos origens muito diferentes, a minha é na tradição democrática, não na autoritária', disse Haddad em entrevista coletiva em São Paulo. 'Não vou mudar por causa dele, não vou atuar no ambiente que ele está acostumado.'

    Para ele, o grau de distribuição dessas notícias falsas chega a criar uma fraude eleitoral no país.

    'Não interessa a ninguém uma eleição fraudada por informações falsas. A Justiça precisa ser mais rápida. Quando a Justiça retira, milhões de pessoas já viram', disse o candidato, referindo-se a vitórias recentes que o PT teve na Justiça Eleitoral e retiraram páginas e links de notícias falsas contra a coligação.

    PROPOSTAS

    Depois de se reunir com os governadores da coligação eleitos no primeiro turno --Wellington Dias (PT), do Piauí, Rui Costa (PT), da Bahia, Camilo Santana (PT), do Ceará, e Flávio Dino (PCdoB), do Maranhão--, Haddad apresentou algumas propostas que foram acertadas com eles para serem implementadas imediatamente caso seja eleito, na área de segurança e saúde.

    Em segurança, Haddad reforçou a ideia de colocar a Polícia Federal para investigar o crime organizado em todo país. A proposta, que está no plano de governo do PT, foi fechada com os governadores.

    'É uma reivindicação antiga de todos os 27 governadores', disse Rui Costa.

    O reforço nas propostas de segurança é uma das questões que Flávio Dino defendeu que Haddad reforce nesse segundo turno.

    'Segurança e economia tem que ser os dois pontos. Tem que deslocar o eixo do debate. Quem está impondo o debate até agora é Bolsonaro, tem que mudar a agenda e mostrar quem vai melhorar a vida das pessoas', defendeu Dino mais cedo, em conversa com jornalistas.

    Haddad também destacou uma proposta que está no plano de governo, a de criar policlínicas em que as pessoas possam ir para fazer consultas de diferentes especialidades e também exames, sem ter que recorrer a hospitais.

    O candidato afirmou que o Ceará e a Bahia já tem modelos desse tipo que funcionam bem e isso deve ser expandido para o resto do país.

    CIRO E PDT

    Haddad ainda espera uma sinalização mais objetiva do PDT, que só reúne a Executiva na quarta-feira para decidir sobre o convite de apoio, mas o PT tem cultivado e pressionado os pedetistas para que Ciro Gomes, que ficou em terceiro lugar no primeiro turno da disputa presidencial, se incorpore à campanha.

    Até agora, o PDT prometeu um apoio 'crítico', sem participar efetivamente do comando da campanha, segundo o presidente do PDT, Carlos Lupi.

    Nesta terça, Haddad disse que Ciro é uma voz respeitado e que quer tê-lo ao seu lado no segundo turno da corrida presidencial contra o postulante do PSL, Jair Bolsonaro.

    'Ciro é uma voz muito respeitada no país e queremos tê-lo ao lado', disse o petista, acrescentando que conversou com Manganeira Unger na noite anterior. Mangabeira foi um dos formuladores da campanha de Ciro.

    'Eu disse que estaria aberto a incorporar propostas no nosso programa de governo. Não há incompatibilidade de princípios, os programas são muito afinados', afirmou.

    (Reportagem de Lisandra Paraguassu)

    1. Home
    2. noticias
    3. haddad diz que nao interessa …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.