Capa do Álbum: Antena 1
A Rádio Online mais ouvida do Brasil
Antena 1
Ícone seta para a esquerda Veja todas as Notícias.

O retorno dos discos de vinil: cada vez mais a moda volta à tona

Veja como eles ressurgiram e explodiram novamente neste século

Placeholder - loading - Tocador moderno e discos de vinil em fundo vermelho. - iStock
Tocador moderno e discos de vinil em fundo vermelho. - iStock

Publicada em  

Tão famosos entre os jovens de hoje como eram nas gerações passadas, a história dos discos de vinil é datada muito antes do que se pensam. Eles foram criados em 1984 nos Estados Unidos pelas mãos de uma das maiores gravadoras do mundo, a Columbia Records. A ideia foi inovadora ao trazer um formato, mais resistente, com um melhor manuseio, e principalmente, com uma qualidade sonora excelente.

Naquele momento, os discos explodiram mundialmente, e todos os jovens ficaram encantados com a novidade, como as artes que vinham em conjunto ao álbum nas capas. Em paralelo a 2022, o retorno dessa forma de música não se deve apenas a apreciação nostálgica da geração atual, mas também dos investimentos da indústria musical e artista neles por meio de seus lançamentos.

Gravadores do mundo todo são e foram fatores importantes para que os discos ressurgissem. Com eles, foi possível novamente vender novos álbuns, lançar reedições e realizar a campanha e promoções de artistas.

Imagem de conteúdo da notícia "O retorno dos discos de vinil: cada vez mais a moda volta à tona" #1
Toque para aumentar

A peça física, além de proporcionar um som singular, a maneira de escutá-lo ainda garante outras formas de envolvimento emocional aos fãs ao possuir um objeto que transmite a ligação direta com o artista e está ali ao seu lado, além das telas dos eletrônicos.

Leia: Artista da Semana: INXS é destaque na programação

Vale lembrar das mudanças em ordem cronológica sobre os formatos de música. Inicialmente, o primeiro deles foi o disco de goma-laca com 78 rotações, que em seguida foi aos poucos substituído pelos discos de vinil, ou LP como é conhecido por muitos. Depois, foi a vez dos CDs ganharem grande visibilidade devido ao seu tamanho e qualidade.

Com diversas discussões no mundo, você sabia que muitos apreciadores da música defendem a superioridade do vinil? Sim, a guerra analógica versus digital existe e muitas pessoas o preferem em comparação ao CD, DVD etc. Muito disso está relacionado ao fato de que as gravações digitais cortam as frequências mais agudas e mais graves, impactando na naturalidade e harmonia do som.

No Brasil, o LP foi lançado comercialmente em 1951. Contudo, depois da comercialização do CD em meados de 1984, os vinis começaram a perder espaço e tornaram-se um item de colecionador. Este fato da década de 90 contradiz muito o cenário de crescimento que temos visto nos últimos anos, principalmente com a chegada da pandemia da Covid-19 e as redes sociais mais voltadas para os jovens, como o Tik Tok.

Enquanto isso, em 2014, nos Estados Unidos, o comércio de disco de vinil voltou a crescer acima de 50%. De acordo com o The Wall Street Journal, ao todo 9,2 milhões de longplays foram vendidos somente naquele ano, apontando um aumento de 53% em relação a 2013.

Outro país é considerado como um dos que investem nessa forma musical é a Coreia do Sul, devido a exportação do K-pop ao mundo. Lá, ao comprar o álbum de lançamento de algum grupo ou artista solo, os fãs recebem os vinis, é claro, e também os photocards (pequenos textos que falam sobre a produção), light stick, adesivos e muito mais. Trata-se de uma abordagem muito pensada e que está felizmente está sendo respondida com bons resultados devido a compra incessante pelo mundo.

Imagem de conteúdo da notícia "O retorno dos discos de vinil: cada vez mais a moda volta à tona" #2
Toque para aumentar

Confira: Grammy 2022: confira os ganhadores da premiação

Um dos grupos mais famosos do país, chamado Blackpink, por meio de seu primeiro álbum “The Album”, conseguiu fazer história com o número de cópias vendidas pelo seu disco ao receber o certificado de um milhão de compras. Em comparação ao Brasil, houve pouca diferença em relação a aposta nesse tipo de conteúdo. A continuidade do vinil ocorreu entre os fãs brasileiros em diversos gêneros musicais, e cada vez mais tende a aumentar os lançamentos e consumo.

É inegável como o vinil atingiu um novo público, principalmente a galera pertencente a Geração Z - jovens nascidos entre 1997 e 2012. De 2017 para cá, diversos álbuns foram muito bem vendidos, dentre eles está o relançamento dos clássicos de Beatles e Pink Floyd, por outro lado Ed Sheeran e La La Land foram outros nomes importantes do início. Hoje, Olivia Rodrigo - vencedora de 3 Grammy Awards em 2022 - é quem domina as lojas e tem um dos discos mais vendidos da atualidade contando com mais de 80 mil cópias vendidas com seu álbum “Sour”.

Analisando os dados presentes no relatório da RIAA (Recording Industry Association of America), em 2017 os downloads digitais das músicas apresentaram menos lucro e menos vendas em comparação com as mídias físicas, tais como os vinis e CDs. Ainda que não pareça, cada vez mais as pessoas estão migrando e alternando suas formas de consumir músicas.

Assim, a volta do fenômeno já faz parte da nossa realidade, uma vez que o número de produções e lançamentos apenas cresce e as vendas dos discos batem recorde. A indústria e artistas se mostram mais e mais versáteis e investem em formatos antigos acrescidos de novas ideias.

Veja também:

Playlist Antena 1: as 10 melhores músicas da Dido

Saiba tudo sobre as maiores divas pop de todos os tempos




Últimas Notícias

Letra e Tradução: Bronski Beat - Smalltown Boy

Aprenda a cantar e confira o significado de hits com a Antena 1 de uma maneira divertida e prática. O single de hoje é “Smalltown Boy" da Bronski Beat.

Smalltown Boy” foi lançada no disco “The Age Of Consent” de 1984, como a sexta faixa do disco. A canção foi produzida por Mike Thorne e escrita por Larry Steinbachek, Jimmy Somerville e Steve Bronski

FOTO ÁLBUM

Gravada no The Garden Studio a faixa é um electro-pop britânico. A canção é uma semi-biografia do vocalista Jimmy Somerville. “Small Town Boy” fala sobre a opressão à juventude na Escócia dos anos 1980.

O clipe da música foi elogiado. O vídeo acompanha uma viagem de trem, desde a compra da passagem, até as lembranças que o personagem tem ao olhar pela janela. As técnicas de cinema utilizada, com cortes rápidos e o movimento em slow montion

Confira o clipe

A faixa atingiu o primeiro lugar na Bélgica, Itália e Holanda, Estados Unidos. “Small Town Boy” ganhou disco de ouro no Canada e Itália, já no Reino Unido a faixa ganhou disco de platina e vendeu mais de 600 mil cópias.

Confira a letra da canção

You leave in the morning
With everything you own
In a little black case
Alone on a platform
The wind and the rain
On a sad and lonely face

Mother will never understand
Why you had to leave
But the answers you seek
Will never be found at home
The love that you need
Will never be found at home

Run away, turn away, run away, turn away, run away
Run away, turn away, run away, turn away, run away

Pushed around and kicked around
Always a lonely boy
You were the one
That they'd talk about around town
As they put you down

And as hard as they would try
They'd hurt to make you cry
But you never cried to them
Just to your soul
No you never cried to them
Just to your soul

Run away, turn away, run away, turn away, run away
Run away, turn away, run away, turn away, run away

Cry, boy, cry

You leave in the morning
With everything you own
In a little black case
Alone on a platform
The wind and the rain
On a sad and lonely face

Run away, turn away, run away, turn away, run away
Run away, turn away, run away, turn away, run away

Confira a tradução da faixa

Você parte pela manhã
Com tudo que te pertence
Dentro de uma pequena valise preta
Sozinho na plataforma
O vento e a chuva
Castigam seu rosto triste e solitário

Sua mãe nunca irá entender
Porque você teve que partir
Mas respostas que você procura
Você nunca encontrará em casa
O amor que você precisa
Você nunca encontrará em casa

Fuja, afaste-se, fuja, afaste-se, fuja
Fuja, afaste-se, fuja, afaste-se, fuja

Abrindo caminho aos pontapés
Sempre um garoto solitário
Você é aquele
De que todos comentam pela cidade
Como eles te deprimem

E por mais duros que eles possam ser
Querem te ferir para vê-lo chorar
Mas você nunca chorou para eles
Somente na sua alma
Não, você nunca chorou para eles
Somente na sua alma

Fuja, afaste-se, fuja, afaste-se, fuja
Fuja, afaste-se, fuja, afaste-se, fuja

Chore, garoto, chore

Você parte pela manhã
Com tudo que te pertence
Dentro de uma pequena valise preta
Sozinho na plataforma
O vento e a chuva
Castigam seu rosto triste e solitário

Fuja, afaste-se, fuja, afaste-se, fuja
Fuja, afaste-se, fuja, afaste-se, fuja

Veja também

ADELE CONTA A HISTÓRIA DE “HELLO”

“LINKEE”: JOGO GANHA NOVA VERSÃO DO CANTOR NICK JONAS

58 min
Placeholder - loading - Imagem da notícia INXS comemora 45 anos de carreira

INXS comemora 45 anos de carreira

Uma das bandas mais icônicas dos anos 80, INXS, completa hoje 45 anos de história. O conjunto australiano está preparando uma série de lançamentos que serão divulgados em sua festa oficial, que será transmitida pelo TikTok. O evento é completamente dedicado aos fãs, e acontece nesta terça-feira (16) a partir das 18h, no horário de Brasília.

A banda de rock alternativo se formou em 1977, inicialmente como The Farriss Brothers. Os membros fundadores da banda foram o baixista Garry Gary Beers, Andrew Farriss principal compositor e tecladista, o baterista Jon Farriss, o guitarrista Tim Farriss o vocalista e principal letrista Michael Hutchence, e o guitarrista e saxofonista Kirk Pengilly.

A festa virtual, nomeada “INXS Day”, será em parceira com a Pertrol Records, Universal Music Group e Rhino Records, além de também marcar os 35 anos do lançamento de Kick, seu sexto trabalho de estúdio. A comemoração será disponibilizada para o mundo inteiro, e ao longo de uma hora, contará com entrevistas dos membros da banda e do produtor musicas executivo, Giles Martin.

“Tiro meu chapéu para Giles, que foi capaz de processar os sons com precisão com a tecnologia atual”, comenta o saxofonista e guitarrista fundador do grupo, Kirk Pengilly. “Parece o álbum original, mas agora, espalhado por um espaço 3D. Parece incrível”, acrescentou.



Não é a primeira vez que o grupo revive marcos de sua carreira. Previamente, experiências como esta já renderam ao INXS um documentário que estreou em 2019, intitulado “Mystify’. A produção, que teve como assunto principal Michael Hutchence, contou com uma trilha sonora repleta de faixas da banda.

Com isso, é esperado que logo mais a vida e carreira do INXS se transformem em uma cinebiografia.



Confira a tradução do post:

“Hoje é o dia! Comemorando nosso aniversário transmitindo o novo recurso AO VIVO no @tiktok mais duas vezes hoje. Encontre seu fuso horário abaixo e sintonize”

“Como começou.... The Farrias Brothers, uma banda que seria logo renomeada como INXS, fez seu trabalho de estreia em uma house party em Whale Beach, Sydney. Como está indo... INXS vendeu 70 milhões de álbuns ao redor do mundo, fazendo deles um dos maiores atos musicais que mais vendeu de todos os tempos”

Você pode acompanhar o evento clicando aqui.

Relembre a trajetória da banda

A banda ganhou notoriedade por seu estilo, que era uma mescla de new wave e pop. Mais tarde começaram a se aventurar em gêneros mais difíceis, como pub rock, que incluía elementos de funk e dance. Por 20 anos, o INXS foi liderado por Hutchence, cuja presença de palco magnética fez dele o elemento chave da banda.



Em 1984, o conjunto lançou teve seu primeiro hit número um na Austrália, sendo ele "Original Sin". A banda mais tarde alcançaria sucesso internacional em meados da década de 1980 e início de 1990 com os álbuns de sucesso L”isten Like Thieves” , “Kick” e “X”, bem como os singles “What You Need", "Need You Tonight " (a banda único single número um nos EUA), "Devil Inside", "Never Tear Us Apart", "Suicide Blonde" e "New Sensation".

De acordo com a Recording Industry Association of America (RIAA), o INXS vendeu mais de 30 milhões de unidades apenas nos Estados Unidos, tornando-se o terceiro artista musical australiano mais vendido nos Estados Unidos, atrás de AC/DC e The Bee Gees.

Além disso, venderam cerca de 75 milhões de discos em todo o mundo. Os australianos também foram indicados para vários prêmios de música, incluindo ARIA Awards, Grammy Awards, e MTV Video Music Awards.

Confira as canções da banda que estão na programação da Antena 1:


[music-item artistSlug=inxs musicSlug=beautiful-girl]

[music-item artistSlug=inxs musicSlug=by-my-side]

1 H
Placeholder - loading - Imagem da notícia Mariah Carey entra em processo pela marca “Rainha do Natal”

Mariah Carey entra em processo pela marca “Rainha do Natal”

Mariah Carey e Natal tem tudo a ver. A cantora tomou a trilha sonora da data para si com suas canções como “All I Want For Christmas Is You” e “When Christmas Comes”. Agora, ao tentar registrar a marca “rainha do natal”, Mariah Carey entrou em uma batalha judicial.

Darlene Love e Elizabeth Chan entraram na justiça para impedir que Mariah registrasse a marca. “É verdade que Mariah Carrey registrou ‘Rainha do Natal’? O que isso quer dizer? Eu não poderei mais usar esse título? David Letterman oficialmente me declarou ‘Rainha do Natal’ 29 anos atrás, um ano antes dela lançar ‘All I Want for Christmas Is You’ e, aos 81 anos, eu não vou mudar nada. Eu estou nesse negócio há 52 anos, eu mereci e ainda atinjo minhas notas! Se Mariah tem um problema ligue para o David ou para meu advogado”, declarou love.

“O Natal já estava aqui antes de qualquer um de nós e, espero, que ele continue depois de nós. Eu acho que ninguém deveria ser dona do Natal e monopolizá-lo da forma que Mariah quer. Não é certo fazer isso, Natal é para todos, é para ser compartilhado, não para ter um dono. Não é só no mundo da música, ela está tentando possuir tudo – roupas, pebidas, mascaras, coleira de cachorro. Se você tricotar um suéter escrito “Rainha do Natal”, você tem que poder vendê-lo”, explicou Elizabeth Chan junto a seu advogado.

Mariah Carrey e seu representante legal não respondeu a declaração.

Elizabeth Chan começou a ser chamada de rainha do natal pela imprensa antes mesmo que ela assumisse o título. O apelido veio em 2014, aos 11 anos de carreira, com o lançamento de “All Access”. Chan ressaltou que não é uma luta contra a artista e que não se considera a “Rainha do Natal”.

Todas elas não foram as únicas a serem chamadas de Rainhas do Natal. Brenda Lee teve suas músicas de natal fazendo sucesso nos anos 50 e 60. A verdade é que tem espaço para várias rainhas do natal.

Veja também

ARTISTA DA SEMANA: HARRY STYLES É DESTAQUE NA PROGRAMAÇÃO

GEORGE EZRA DIZ QUE PODE SE AFASTAR DOS HOLOFOTES DEPOIS DE SUA TURNÊ

1 H
  1. Home
  2. noticias
  3. o retorno dos discos de vinil …

Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.