Capa do Álbum: Antena 1
A Rádio Online mais ouvida do Brasil
Antena 1
    Veja todas as Notícias.

    PESQUISA-Norte-americanos estão mais críticos a ações de Trump contra Irã, maioria espera uma guerra

    Placeholder - loading - 03/01/2020 REUTERS/Eva Marie Uzcategui
    03/01/2020 REUTERS/Eva Marie Uzcategui

    Publicada em  

    Por Chris Kahn

    NOVA YORK (Reuters) - Os norte-americanos estão cada vez mais críticos em relação à forma como o presidente dos EUA, Donald Trump, está tratando a questão do Irã, depois de ter determinado a morte de um comandante militar iraniano, e a maioria dos adultos do país espera agora uma guerra em um futuro próximo entre as duas nações, segundo pesquisa Reuters/Ipsos divulgada na terça-feira.

    A pesquisa de opinião feita nos Estados Unidos constatou que 53% dos adultos nos EUA desaprovam o tratamento de Trump com relação ao Irã, o que representa um aumento de cerca de 9 pontos percentuais em relação a uma pesquisa semelhante realizada em meados de dezembro. (https://tmsnrt.rs/2sYNzgi)

    O número de adultos que 'desaprova veementemente' as ações de Trump no Irã --39%-- aumentou 10 pontos percentuais em relação à pesquisa de dezembro.

    A resposta ficou dividida entre partidos, com desaprovação maior em relação ao mês passado entre democratas e independentes, embora não tenha mudado entre os republicanos.

    Cerca de 9 em cada 10 democratas e 5 em cada 10 independentes desaprovam as ações de Trump no Irã. Entre os republicanos, 1 em cada 10 desaprova. Um em cada 10 democratas, 4 em cada 10 independentes e 8 em cada 10 republicanos aprovam o tratamento dado por Trump ao Irã.

    A pesquisa foi realizada de 6 a 7 de janeiro, logo após Trump ordenar o ataque com drones no Iraque que atingiu o comandante iraniano Qassem Soleimani e aumentou as tensões na região. O Parlamento do Iraque pediu a retirada das tropas norte-americanas do país, e no Irã populares em luto se aglomeravam nas ruas, gritando 'Morte à América!'

    Trump, que afirmou que Soleimani estava planejando atacar norte-americanos, argumentou que o ataque teve como objetivo evitar uma guerra com o Irã. O presidente ameaçou atacar sítios culturais iranianos se o Irã retaliar.

    Segundo a pesquisa, a popularidade geral de Trump permaneceu estável após o ataque que resultou na morte de Soleimani, com 41% de aprovação de seu desempenho no cargo e 54% de desaprovação.

    Os norte-americanos também pareciam estar muito mais preocupados agora com o risco de uma guerra com o Irã.

    Uma pesquisa separada da Reuters/Ipsos, realizada de 3 a 6 de janeiro, constatou que 41% dos entrevistados consideram o Irã uma 'ameaça iminente' para os Estados Unidos, 17 pontos acima de uma pesquisa semelhante realizada em maio de 2019. ( https://tmsnrt.rs/35xJUDA)

    A sondagem também mostrou que 71% dos norte-americanos acreditam que os EUA entrarão em guerra com o Irã nos próximos anos, 20 pontos acima da pesquisa de maio.

    Uma minoria crescente de norte-americanos diz que agora é a favor de um 'ataque preventivo' a militares do Irã. A pesquisa constatou ainda que 27% disseram que os Estados Unidos deveriam atacar primeiro, um aumento de 15 pontos percentuais em relação a maio. Outros 41% disseram que os Estados Unidos não deveriam atacar primeiro e 33% disseram que não sabem.

    A pesquisa Reuters/Ipsos foi realizada online, em inglês, nos EUA e compilou respostas de 1.108 adultos na pesquisa de 6 a 7 de janeiro e 1.005 adultos na pesquisa de 3 a 6 de janeiro. Os resultados têm um intervalo de credibilidade --uma medida de precisão-- de cerca de 4 pontos percentuais.

    Escrito por Reuters

    Últimas Notícias

    Placeholder - loading - Imagem da notícia 6 músicas internacionais que têm samples de outras canções

    6 músicas internacionais que têm samples de outras canções

    Sample é um termo bastante conhecido no mundo da música, especialmente por compositores, cantores e gravadoras. Mas a verdade é que isso talvez seja algo que esteja guardado apenas para os profissionais da área. Sendo assim, esta matéria foi preparada para informar o leitor, com uma linguagem fácil para todos tenham conhecimento.

    A criação de uma música é muito mais complicada e detalhada do que o ouvinte comum acha. O glamour para os cantores e bandas, como premiações, discos de ouro e platina são apenas o final de um trabalho longo e extenso. Como, sabemos que para uma produção de música, uma equipe com vários profissionais é acionada.

    Para entender o sample, devemos voltar lá na origem do artificio, que teve notoriedade na década de 80, justamente com o crescimento das músicas eletrônicas e os arranjos, em versões de remix.

    Por mais moderno que possa parecer, uma técnica de samplear as faixas musicais são muito mais antigas do que pensamos. As primeira tentativas e estudos originaram o termo, surgiram na década de 40.

    Os franceses teóricos da música Pierre Schaefer e Pierry Henry, foram os pioneiros na preparação da chamada Musique Concrèt, que em resumo é arte de modificar um som.

    Como o próprio diz, o significado de Sample, do inglês para o português é basicamente “amostra”, e essa amostra é uma forma utilizada pelos produtores, em uma criação musical. Diferente do remix, o sample é uma base de um faixa já existente. Para deixar mais fácil para o entendimento.

    Quando um musico pega um violão para compor as primeiras notas de uma obra, ele levará para uma gravadora e produtor musical, e incluir aquele curto trecho instrumental na canção. Essa gravação do violão é uma amostra fica gravada, para o inicio da criação.

    O Sample não está limitado apenas nas gravações instrumentais, mas as vozes são muito presentes também. Muitos produtores usam de uma musica já existente para a elaboração de uma nova.

    Por isso, em algumas situações, é notório quando o ouvinte aprecia uma canção, e assemelha a mesma com outra. Assim, ‘samplear’ pode ser considerado uma forma de homenagear o criador.

    Músicas que utilizam sample

    Madonna - 'Hung Up'

    Do ritmo conhecido e apreciado por muitos, o single ‘Gimme ,Gimme, Gimme’ da banda aclamada ABBA, a diva Madonna, não economizou na homenagem ao grupo sueco. ‘Hung Up’ virou de fato um sucesso em 2005, e talvez poucos sabiam dessa similaridade.



    Confira a versão do ABBA:



    Beyoncé - 'All Night'

    A base feita pela estrela Beyoncé em ‘All Night’ foi de fato uma bela combinação com ‘Spottieottiedopaliscious’. A canção original veio da dupla de rappers americanos, Outkast.



    Confira a versão da dupla Outkast:



    Jennifer Lopez - 'Jenny From The Block'

    O grupo americano de hip hop, The Beatnuts, emprestou um de seus exemplares, ‘Watch Out Now’, para a cantora, compositora e atriz Jennifer Lopez. A batida presente na canção da J.Lo é mais um exemplo da utilização do sample. E vale ressaltar que isso não falta de criatividade, e sim uma admiração e homenagem.



    Confira a versão do grupo The Beatnuts:



    Ariana Grande - '7 Rings'

    Ariana Grande voltou ao passado e utilizou 'My Favorite Things', do clássico 'A Noviça Rebelde' em sua música "7 Rings".    

    7 H
    1. Home
    2. noticias
    3. pesquisa norte americanos …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.