Capa do Álbum: Antena 1
A Rádio Online mais ouvida do Brasil
Antena 1
    Veja todas as Notícias.

    Vendas no varejo recuam 0,2% em janeiro após tombo recorde no mês anterior

    Placeholder - loading - Comércio no Rio de Janeiro 20/7/2020 REUTERS/Sergio Moraes
    Comércio no Rio de Janeiro 20/7/2020 REUTERS/Sergio Moraes

    Publicada em  

    Atualizada em  

    Por Isabel Versiani e Rodrigo Viga Gaier

    BRASÍLIA (Reuters) - O setor de varejo do Brasil abriu o ano com novo recuo, após queda histórica em dezembro, acusando os impactos do fim do auxílio emergencial e das medidas de contenção do coronavírus, que no último mês já foram endurecidas em várias cidades do país em meio à escalada das mortes pela Covid-19.

    As vendas no varejo brasileiro recuaram 0,2% em janeiro na comparação com o mês anterior, em dado dessazonalizado, e caíram 0,3% sobre um ano antes, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira.

    A expectativa em pesquisa da Reuters era de queda de 0,3% na comparação mensal e de retração de 0,25% sobre um ano antes.,

    O terceiro mês consecutivo de taxas negativas para o varejo na comparação mensal se dá após a suspensão do pagamento do auxílio emergencial no fim de dezembro, mês em que o comércio sofreu uma retração recorde para o período, de 6,2%, após recuo de 0,1% em novembro.

    Em janeiro, por outro lado, o país ainda não enfrentava o endurecimento mais generalizado das iniciativas de distanciamento social promovidas a partir do mês seguinte, quando o recrudescimento da Covid-19 em todo o território nacional ficou mais evidente, trazendo dificuldades adicionais ao comércio.

    No mês, seis das oito atividades pesquisadas mostraram queda de vendas sobre dezembro, com destaque para o grupo Livros, jornais, revistas e papelaria, com retração de 26,5%, e Tecidos, vestuário e calçados, queda de 8,2%. O setor de Hiper e supermercados --que tem o maior peso do varejo-- caiu 1,6%.

    O segmento Outros artigos de uso pessoal e doméstico liderou as altas, com aumento de 8,3%.

    “Janeiro teve o lockdown no Amazonas e restrições no resto do país, e isso influencia o setor do comércio', disse o gerente da pesquisa do IBGE, Cristiano Santos.

    'Temos uma inflação mais alta e o fim do auxílio emergencial como outros efeitos negativos', acrescentou o especialista, destacando que o setor de hiper e supermercados foi o que mais sofreu com o fim dos repasses da ajuda financeira do governo às famílias vulneráveis.

    O IBGE considera a retração de 0,2% estabilidade, mas Santos destacou que, ao contrário de novembro, em que o recuo de 0,1% se deu sobre um pico de vendas, o desempenho fraco de janeiro aconteceu após uma forte queda.

    Na comparação com o mesmo período do ano passado, a retração se deu após sete meses consecutivos de alta.

    No chamado comércio varejista ampliado, que inclui veículos, motos, partes e peças e de material de construção, o volume de vendas recuou 2,1% em relação a dezembro de 2020, segundo mês consecutivo de variação negativa.

    A queda foi puxada pelo grupo Veículos, motos e peças, cujas vendas encolheram 3,6%. Segundo Santos, o setor, que tem o segundo maior peso no comércio, foi um dos que mais sentiram as restrições ao funcionamento de estabelecimentos comerciais em janeiro.

    O comércio teve queda em 23 das 27 unidades da federação em janeiro, com a maior retração acontecendo no Amazonas (-29,7% sobre dezembro), onde foi declarado lockdown depois de um colapso do sistema de saúde devido à pandemia.

    Outros Estados com quedas fortes do varejo foram Rondônia (-9,1%), Ceará (-4,9%), Mato Grosso (-4,2%) e Santa Catarina (-4,1%). Os únicos quatro Estados que tiveram aumento nas vendas no mês foram Minas Gerais (8,3%), Tocantins (3,7%), Acre (1,1%) e Mato Grosso do Sul (0,8%).

    Escrito por Reuters

    Últimas Notícias

    Placeholder - loading - Imagem da notícia 'Tonight United': Duran Duran lança música em parceria com Giorgio Moroder

    'Tonight United': Duran Duran lança música em parceria com Giorgio Moroder

    Esta sexta-feira, 24 de setembro, já começou com várias novidades no mundo da música e isso inlui o lançamento de 'Tonight United', sendo esse o novo single de Duran Duran em parceria com o rei do disco, Giorgio Moroder. A canção faz parte de  'Future Past', décimo quinto dsico de estúdio da banda. 
     
    Em nota, Simon Le Bond, vocalista do grupo, declarou: "“Giorgio Moroder, Duran Duran ... isso é música para um mundo que está se reunindo”. 
     
    Um dos motivos para 'Tonight United' ter sido divulgada hoje, é que a canção é a música tema do festival 'Global Citizen' - que acontece neste sáabdo (25), em Londres, e será transmitido ao vivo pelo YouTube do evento. Clique aqui para acessar o canal do show.  
     
    Veja o vídeo oficial da música: 
     
     
    “Quando entramos em estúdio pela primeira vez no final de 2018, eu estava tentando persuadir os caras de que tudo o que precisávamos fazer era escrever duas ou três faixas para um EP. Quatro dias depois, com o núcleo de mais de 25 canções fortes, que todas mereciam desenvolvimento, percebi que estaríamos nisso por um longo tempo, mas isso foi antes de Covid-19. Então, aqui estamos nós em 2021 com nosso 15º álbum de estúdio e nos esforçando ao máximo", afirmou Le Bond.  
     
    As demais faixas do disco também contém parcerias com grandes artistas da indútria musical, como Mark Ranson, Lykke Li, To Love, CHAI, Graham Coxon do Blur e Mick Grason - tecladiscta de David Bowie. 
     
    'Future Past' estará disponível em sua versão compelta a partir do dia 22 de outubro deste ano. Confira as músicas foram publicadas, até o momento:
     
     
    Veja mais:
     
    Shows lendários de Bruce Springsteen ganham data de lançamento
     
    Genesis inicia turnê de despedida 'The Last Domino Tour?' na Inglaterra

    1 H
    1. Home
    2. noticias
    3. vendas no varejo recuam 02 em …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.