Capa do Álbum: Antena 1
A Rádio Online mais ouvida do Brasil
Antena 1

NOTÍCIAS SOBRE filhos

Veja essas e outras notícias da Antena 1

Placeholder - loading - Imagem da notícia Estresse durante a gravidez é perigoso

Estresse durante a gravidez é perigoso

Os filhos de mulheres que sofrem de estresse severo durante a gravidez têm quase 10 vezes mais chances de desenvolver um distúrbio de personalidade aos 30 anos, sugere um estudo. E mesmo o estresse prolongado moderado pode ter um impacto no desenvolvimento infantil e continuar após o nascimento do bebê.Em um estudo, mais de 3.600 mulheres grávidas na Finlândia foram questionadas sobre seus níveis de estresse e seus filhos também foram acompanhados. Os psiquiatras alertam: as futuras mães devem ter acesso ao apoio à saúde mental.Outros fatores, como a educação dos filhos, a situação financeira da família e os traumas sofridos durante a infância, são conhecidos por contribuir para o desenvolvimento de transtornos de personalidade e podem ter desempenhado um papel importante.O que é um transtorno de personalidade?Isso significa que certos aspectos da personalidade de alguém dificultam a vida para eles e para outras pessoas. Eles podem ser excessivamente ansiosos ou emocionalmente instáveis, por exemplo, ou paranoicos ou ter dificuldades de socialização – há uma grande variedade de tipos.Estima-se que os distúrbios de personalidade afetam cerca de uma em cada 20 pessoas. Em grande parte, é provável que tenha outros problemas de saúde mental, como depressão ou problemas com drogas e álcool.Como outros transtornos mentais, a educação, os problemas cerebrais e os genes podem desempenhar um papel importante no seu desenvolvimento.EstudoTodo mês durante a gravidez, o estudo, publicado no British Journal of Psychiatry, solicitava às mulheres que respondessem perguntas sobre seus níveis de estresse mental. As mulheres moravam em Helsinque, na Finlândia, e seus bebês nasceram entre 1975 e 1976.O LINK constatou que altos níveis prolongados de estresse durante a gravidez podem ter um efeito potencialmente duradouro nas crianças.As crianças expostas ao estresse materno severo tiveram 9,53 vezes mais chances de desenvolver um transtorno de personalidade do que aquelas cujas mães não experimentaram estresse.Aqueles expostos ao estresse moderado tiveram quatro vezes mais chances.Isso pode ser um estresse relacionado a problemas de relacionamento, fatores sociais ou problemas psicológicos, por exemplo.Por que o estresse é prejudicial?Não se sabe como o estresse em mulheres grávidas pode aumentar o risco de transtornos de personalidade - pode ser devido a alterações causadas no cérebro ou o resultado de genes herdados ou vários outros fatores na educação das crianças.Os pesquisadores tentaram provocar os efeitos do estresse isoladamente, controlando outros fatores, como a história psiquiátrica das mulheres grávidas, se fumaram durante a gravidez ou tiveram depressão.Pesquisas anteriores descobriram ligações entre o estresse na gravidez e o desenvolvimento de depressão, ansiedade e esquizofrenia.O que pode ser feito?Trudi Seneviratne, que preside a faculdade perinatal do Royal College of Psychiatrists, disse que a gravidez pode ser um momento estressante e que as futuras mães precisam de apoio. "Se o estresse não for combatido, há uma grande chance de que ele se espalhe no período pós-natal", disse ela.Ela disse que o NHS England melhorou drasticamente os serviços de saúde mental perinatal nos últimos tempos.Por isso, mulheres devem ser apoiadas em casa durante a gravidez e devem ter estratégias de enfrentamento para quando estão estressadas, disse Seneviratne."Eles precisam aprender a descansar, pedir apoio e conversar com alguém sobre como eles estão se sentindo".Também é recomendável uma dieta equilibrada, parar de fumar e dormir regularmente.Mais conselhos estão disponíveis no site do LINK e no LINK.

4 A
Placeholder - loading - Imagem da notícia A depressão de uma mãe afeta a saúde do filho

A depressão de uma mãe afeta a saúde do filho

A depressão de uma mãe pode ter efeitos a longo prazo no sistema imunológico e na saúde psicológica de seu filho.Pesquisadores israelenses acompanharam 125 bebês desde o nascimento até 10 anos. Cerca de 43 por cento das mães tinham diagnóstico de depressão, e o restante constituía um grupo de controle.Os pesquisadores testaram a saliva de crianças e mães para o cortisol (hormônio do estresse), bem como para um anticorpo chamado imunoglobulina A secretora, ou SIgA, cujos altos níveis indicam ativação do sistema imunológico. Eles também visitaram as famílias para avaliar a saúde emocional da mãe e observar problemas comportamentais em crianças.Os filhos das mães deprimidas tinham níveis mais elevados de SIgA, tendiam a ser mais retraídos e tinham taxas mais elevadas de sintomas psiquiátricos. A autora Ruth Feldman, professora de neurociência do desenvolvimento no Centro Interdisciplinar Herzliya, disse que a depressão materna pode afetar a criança de várias maneiras. "As crianças expostas à depressão maior materna respondem como aqueles sob estresse crônico", disse ela. A depressão também aumenta o estresse materno, que afeta diretamente a criança. E comportamentos insensíveis de uma mãe podem aumentar a exclusão social do pequeno, o que aumenta o risco de transtornos psiquiátricos.Em comparação com os controles, as mães deprimidas apresentavam níveis mais altos de cortisol e SIgA e tendiam a exibir comportamentos mais intrusivos e insensíveis em relação aos filhos.Para ler mais notícias, curta a página Antena 1 News no Facebook!

5 A
Placeholder - loading - Imagem da notícia Filhos sofrem com divórcio dos pais

Filhos sofrem com divórcio dos pais

A pesquisa, publicada na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences (Pnas), mostrou que crianças que vivenciaram um divórcio conflituoso dos pais têm a saúde prejudicada até a idade adulta.Os resultados de testes feitos com mais de 200 voluntários mostraram que aqueles cujos pais se separaram e não se falaram durante anos eram três vezes mais propensos a adoecer, em comparação com aqueles cujos pais se divorciaram mas permaneceram em contato durante o crescimento das crianças.Os especialistas creem que esse efeito prejudicial de uma separação na saúde física dos filhos aconteça devido ao stress causado por essa situação. Os voluntários que adoeceram com mais facilidade apresentaram inflamação mais severa em resposta a uma infecção viral.“As experiências estressantes no início da vida fazem algo com a nossa fisiologia e processos inflamatórios que aumenta o risco de uma saúde mais fraca e doenças crônicas. Este trabalho é um avanço na nossa compreensão de como o stress familiar durante a infância pode influenciar a susceptibilidade de uma criança a doenças 20, até 40 anos depois”, disse Michael Murphy, associado de pesquisa de pós-doutorado em psicologia na Universidade Carnegie Mellon.O estudo mostrou ainda que os filhos adultos de pais que se separaram, mas mantiveram contato, não eram mais propensos a ficar doentes do que aqueles de famílias intactas.Para ler mais notícias, curta a página Antena 1 News no Facebook!

7 A

Fique por dentro

de tudo o que acontece nos bastidores do mundo da música, desde lançamentos, shows, homenagens, parcerias e curiosidades sobre o seu artista favorito. A vinda de artistas ao Brasil, cantores e bandas confirmadas no Lollapalooza e no Rock in Rio, ações beneficentes, novos álbuns, singles e clipes. Além disso, você acompanha conosco a cobertura das principais premiações do mundo como o Oscar, Grammy Awards, BRIT Awards, American Music Awards e Billboard Music Awards. Leia as novidades sobre Phil Collins, Coldplay, U2, Jamiroquai, Tears for Fears, Céline Dion, Ed Sheeran, A-ha, Shania Twain, Culture Club, Spice Girls, entre outros. Aproveite também e ouça esses e outros artistas no aplicativo da Rádio Antena 1, baixe na Apple Store ou Google Play e fique sintonizado.

  1. Home
  2. noticias
  3. tags
  4. filhos

Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.