Capa do Álbum: Antena 1
A Rádio Online mais ouvida do Brasil
Antena 1

NOTÍCIAS SOBRE horário

Veja essas e outras notícias da Antena 1

Placeholder - loading - Imagem da notícia Comer mais cedo ajuda no emagrecimento

Comer mais cedo ajuda no emagrecimento

Se antes a hora do dia em que você comia não importava quando se tratava de perda de peso, à medida que a compreensão sobre a nutrição evolui, essa pode ser a chave para um emagrecimento eficaz.Especialistas dizem que comer mais cedo pode ser mais favorável para perder peso, enquanto comer mais tarde pode interferir na perda de peso - e por mais de um motivo.Por um lado, comer durante a noite geralmente anda de mãos dadas com mordiscadas irracionais. As noites também podem ser preenchidas com tempo não estruturado, o que significa que comer pode preencher um "vazio"; se você está entediado, é fácil comer alimentos açucarados e ricos em gordura quando não precisa se concentrar em outras tarefas, como trabalho ou estudos.Para ser claro, o consumo excessivo de calorias a qualquer hora do dia resultará em ganho de peso. Mas muitos nutricionistas, inclusive Lisa Drayer, nutricionista, autora e colaboradora da LINK em saúde e nutrição, notaram que os clientes se saem melhor quando consomem a maior parte de suas calorias no início do dia. Dessa forma, no momento em que a noite avança, eles ficam mais saciados e podem ser menos propensos a exagerar.E há o fato de que mais pesquisas mostraram como nosso corpo responde às calorias de carregamento antecipado durante nossas horas de vigília, contra consumi-las mais tarde.Tem a ver com a complexa ciência dos ritmos circadianos - mudanças físicas, mentais e comportamentais no corpo que seguem um ciclo de aproximadamente 24 horas. Esses ritmos são acionados por um relógio biológico mestre no cérebro, que é principalmente influenciado pela luz e informa a outros relógios "periféricos" nos músculos e órgãos que horas são do dia.Como os ritmos circadianos afetam a maneira como as calorias, carboidratos e gorduras são metabolizados durante um período de 24 horas, eles podem ajudar a explicar por que comer tarde da noite diminui a taxa com a qual perdemos peso, como constatou um estudo de 2013.EstudoO estudo envolveu 420 participantes com sobrepeso e obesidade, que foram divididos em dois grupos: os que comiam no início do dia e os que comiam mais tarde. Os primeiros almoçavam antes das 15h e os que outros almoçavam após as 15h. O grupo do almoço tardio também comeu café da manhã com menos calorias ou pulou o café da manhã com mais frequência do que os que comem cedo.No final do período de estudo de 20 semanas, os comedores tardios perderam menos peso em comparação com os comedores anteriores e perderam peso mais lentamente, apesar do fato de que ambos os grupos ingeriram aproximadamente 1.400 calorias por dia e consumiu quantidades semelhantes de gordura, proteína e carboidratos.A pesquisa sugere que as calorias que queimamos da digestão, absorção e metabolização dos nutrientes nos alimentos que ingerimos - conhecidas como termogênese induzida pela dieta - são influenciadas pelo nosso sistema circadiano e são mais baixas às 8 horas da noite do que às 8 da manhãPara colocar isso em prática, especialmente se você estiver tentando perder peso, não pule o café da manhã e considere comer o que você normalmente comeria no jantar durante o almoço.

4 A
Placeholder - loading - Imagem da notícia Aulas nas escolas deviam começar mais tarde

Aulas nas escolas deviam começar mais tarde

Atrasar os horários de início da escola ajudou os adolescentes de Seattle a dormir melhor. Durante a puberdade, o ritmo circadiano é alterado e o sono e a vigília são tipicamente postergados tardiamente. Isso cria um problema: os padrões de vigília e sono dos adolescentes não coincidem com os da vida social convencional, e os adolescentes raramente recebem as oito a 10 horas de sono recomendadas a cada noite. Em 2016, o Distrito Escolar de Seattle mudou o horário de abertura das escolas para 8h45, 55 minutos depois do usual. Usando monitores de pulso, os pesquisadores acompanharam o início e a duração do sono por duas semanas em alunos antes e depois da mudança em duas escolas, uma economicamente desfavorecida. Antes da mudança, os alunos tinham uma média de seis horas e 50 minutos de sono por noite. Depois disso, eles tiveram sete horas e 24 minutos. O estudo, na Science Advances, também descobriu que a mudança estava associada a um aumento de 4,5 por cento nas notas, embora os pesquisadores não pudessem provar que isso era causal. Eles também encontraram um aumento na pontualidade e frequência, mas apenas na escola economicamente desfavorecida."Muitos adultos têm a ideia de que os adolescentes são preguiçosos", disse o autor sênior, Horacio O. de la Iglesia, professor de biologia na Universidade de Washington. "Eles não são. As crianças precisam de nove horas de sono e podemos ajudá-las a alcançar esse objetivo, atrasando o horário de início das aulas.”Para ler mais notícias, curta a página Antena 1 News no Facebook!

5 A
Placeholder - loading - Imagem da notícia Queima de calorias depende do horário

Queima de calorias depende do horário

Tudo, desde os treinos até o horário de sono, pode influenciar quantas calorias você queima ao longo do dia. E de acordo com um novo estudo, pode haver uma hora do dia em que seu corpo naturalmente queima mais calorias. Isso é provavelmente graças aos ritmos circadianos, que controlam o relógio interno do corpo e os ciclos de sono e vigília. Esses ritmos também podem influenciar a queima de calorias, de acordo com a pesquisa publicada na revista Current Biology. Em repouso, os seres humanos queimam cerca de 10 por cento a mais de calorias no fim da tarde do que tarde da noite, descobriram experimentos de laboratório. Isso equivale a cerca de 130 calorias extras queimadas durante o final da tarde e à noite versus o meio da noite, sem qualquer trabalho extra de sua parte, diz a coautora do estudo Dra. Jeanne Duffy, professora associada de medicina na Harvard Medical School e neurocientista no Brigham and Women's Hospital. Mesmo um pequeno aumento como este poderia afetar a saúde. "Se isso está acontecendo todos os dias, você pode imaginar que com o tempo isso poderia aumentar", diz. Segundo Dra. Jeanne Duffy, professora associada de medicina na Harvard Medical School e neurocientista no Brigham and Women's Hospital, como a pesquisa se concentrou na queima de calorias em repouso - ou seja, a energia necessária para energizar funções corporais, como respiração e circulação sanguínea – não está claro se as pessoas devem reagendar seus treinamentos e refeições durante esse pico de energia. O que pode ser mais relevante para o comportamento do cotidiano, diz ela, é evitar a queda de calorias do corpo na madrugada e no início da manhã.“Podemos estar comendo o café da manhã não apenas em um momento em que nosso corpo pode não estar preparado para lidar com ele, mas em um momento em que precisamos de menos energia para manter nossas funções. Portanto, o mesmo café da manhã pode resultar em calorias extras armazenadas, porque não precisamos delas para manter nossas funções corporais”.O estudo incluiu apenas sete pessoas, portanto os resultados são preliminares. Mas os pesquisadores dizem que o pequeno tamanho da amostra permitiu que eles conduzissem experimentos de laboratório que regulavam desde a dieta das pessoas até a exposição à luz, oferecendo insights exclusivos sobre o impacto natural dos ritmos circadianos.Duffy diz que essas descobertas têm um significado especial para os trabalhadores em turnos e pernoitais, que muitas vezes operam em horários incomuns. Pesquisas demonstram que o trabalho por turnos está associado a uma série de problemas de saúde, incluindo obesidade, diabetes tipo 2, câncer e declínio cognitivo. A especialista diz que o novo estudo acrescenta à ideia de que esses problemas de saúde podem estar associados a rupturas do ritmo circadiano.Nossos relógios biológicos são “cronometrados para estarmos prontos para fazermos coisas em horários regulares do dia e para sermos otimamente funcionais. Quando fazemos coisas como ficar acordado a noite toda para trabalhar, estamos trabalhando contra esses relógios biológicos internos ”, explica Duffy. Mais pesquisas são necessárias para saber exatamente como essas descobertas afetam os indivíduos, mas o estudo contribui para o crescente entendimento dos cientistas sobre a importância dos ritmos circadianos e seu impacto na saúde total.Para ler mais notícias, curta a página Antena 1 News no Facebook!

5 A
Placeholder - loading - Imagem da notícia Saiba o melhor horário para ir à academia

Saiba o melhor horário para ir à academia

Muitas vezes, com a rotina apertada, as pessoas não conseguem escolher a hora para ir à academia. Mas, de acordo com a ciência, existem períodos melhores para se exercitar – muitas pesquisas sugerem que a manhã é o período ideal, já que acelera a perda de peso e eleva os níveis de energia. Mas, pensando em adequar o treino à rotina de cada um, o site especializado Scientific American elaborou uma lista com vantagens e desvantagens de se exercitar em diferentes horários. Para quem treina durante a manhã, a primeira vantagem é que o fluxo de frequentadores das academias costuma ser mais baixo, já que muitos estão trabalhando. Além disso, uma pesquisa publicada em 2013 mostrou que é possível queimar até 20 por cento mais gordura corporal com o estômago vazio, o que é muito mais fácil no início do dia do que em qualquer outro horário.A desvantagem é que durante a manhã os níveis de cortisol (conhecido como hormônio do estresse) costumam estar mais altos – eles vão caindo gradualmente ao longo do dia. E, segundo a ciência, este hormônio pode provocar o acúmulo de gordura e perda de massa muscular.Para quem opta por treinar ao meio-dia, é importante frisar que a refeição deve ser feita após o exercício, e não antes. Comer antes não só causa desconforto, como também faz com que o sangue que deveria trabalhar nos músculos se concentre no estômago durante a digestão. Mas, claro, caso seja necessário se alimentar, é recomendado que se faça um lanche leve 30 ou 45 minutos antes de ir para a academia. Já no fim do dia, de acordo com estudos variados, a temperatura do corpo atinge o seu pico, o que pode aumentar a força muscular e resistência cardiovascular. Além disso, a frequência cardíaca e a pressão arterial são mais altas neste período, fazendo com que o tempo de reação do corpo seja mais rápido. Juntos, estes fatores melhoram o desempenho físico e diminuem a chance de machucados e fraturas no treino. Também durante o fim do dia e início da noite, a síntese de proteína, usada pelo corpo para a reparação muscular, atinge seu pico, maximizando a capacidade do corpo de se recuperar. Estudos também indicam que se exercitar durante a noite pode aumentar a capacidade física, aeróbica e a força em até 30 por cento. A testosterona também está em alta neste período – hormônio muito importante para o crescimento e fortalecimento dos músculos. A desvantagem é que, durante o fim de tarde, as academias costumam estar lotadas. Para fugir disso, é possível treinar ainda mais tarde, mas daí é possível que a qualidade do sono fique prejudicada, já que a atividade física aumenta o ritmo cardíaco e a temperatura do corpo, impactando de forma negativa na hora de dormir. Para ler mais notícias, curta a página Antena 1 News no Facebook!

6 A
Placeholder - loading - Imagem da notícia O horário em que comemos importa

O horário em que comemos importa

O debate sobre a melhor dieta para uma saúde ideal já é antigo. Mas agora alguns especialisas acreditam que não é apenas o que comemos que importa, mas sim quando realizamos nossas refeições.Um corpo crescente de pesquisas sugere que nossos corpos funcionam otimamente quando alinhamos nossos padrões alimentares com nossos ritmos circadianos, os ciclos inatos de 24 horas que dizem ao nosso corpo quando acordar, quando comer e quando adormecer. Estudos mostram que interromper cronicamente esse ritmo – por meio de refeições tardias ou beliscar lanches à meia-noite, por exemplo – poderia ser uma receita para ganho de peso e problemas metabólicos.Essa é a premissa de um novo livro, "The Circadian Code", de Satchin Panda, professor do Instituto Salk e especialista em pesquisa de ritmos circadianos. Nele, Dr. Panda argumenta que as pessoas melhoram sua saúde metabólica quando comem em uma janela diária de 8 a 10 horas, fazendo sua primeira refeição pela manhã e sua última no início da noite.Essa abordagem, conhecida como ‘alimentação precoce com restrição de tempo’, deriva da idéia de que o metabolismo humano segue um ritmo diário, com nossos hormônios, enzimas e sistemas digestivos preparados para a ingestão de alimentos pela manhã e à tarde. Muitas pessoas, no entanto, comem, mesmo em pouca quantidade, desde o momento em que acordam até pouco antes de irem para a cama.Dr. Panda descobriu em sua pesquisa que a pessoa média come um período de 15 horas ou mais por dia, começando com algo como leite e café, e terminando tarde da noite seja com um copo de vinho, um punhado de nozes ou até mesmo uma refeição completa. Esse padrão de alimentação, diz ele, entra em conflito com nossos ritmos biológicos.Os cientistas há muito sabem que o corpo humano tem um relógio mestre no cérebro, localizado no hipotálamo, que governa nossos ciclos de sono-vigília em resposta à exposição à luz brilhante. Um par de décadas atrás, os pesquisadores descobriram que não há apenas um relógio no corpo, mas uma coleção deles. Todo órgão tem um relógio interno que governa seu ciclo diário de atividade.“Habitamos este planeta há milhares de anos e, embora muitas coisas tenham mudado, sempre houve uma constante: todos os dias o sol nasce e à noite cai”, disse o Dr. Panda. “Nós planejamos ter ritmos de 24 horas em nossa fisiologia e metabolismo. Esses ritmos existem porque, assim como nossos cérebros precisam dormir todas as noites para consertar, redefinir e rejuvenescer, todos os órgãos precisam ter tempo para reparar e reiniciar também. ”A maioria das evidências em humanos sugere que consumir a maior parte da comida no início do dia é melhor para saúde, disse o Dr. Courtney Peterson, professor assistente no departamento de ciências da nutrição da Universidade do Alabama, em Birmingham. Dezenas de estudos demonstram que o controle do açúcar no sangue é melhor de manhã e pior no período noturno. À noite, a falta de luz solar leva o cérebro a liberar a melatonina, que nos prepara para o sono. Comer tarde da noite envia um sinal conflitante para os relógios no resto do corpo que ainda é dia, disse o Dr. Peterson.Se alimentar na hora errada do dia causa tensão nos órgãos envolvidos na digestão, forçando-os a trabalhar quando estão programados para ficarem inativos, o que pode aumentar o risco de doenças, disse Paolo Sassone-Corsi, diretor do Centro de Epigenética e Metabolismo da Universidade da Califórnia, em Irvine.Um exemplo clássico disso são os trabalhadores por turnos, que representam cerca de 20 por cento da força de trabalho do país. Muitas vezes quem trabalha em turnos durante a noite é obrigado a comer e dormir em horários estranhos. Isso está ligado à obesidade, diabetes, alguns tipos de câncer e doenças cardíacas. Embora os fatores socioeconômicos provavelmente desempenhem um papel, estudos sugerem que a ruptura circadiana (nosso ciclo natural de 24 horas) pode levar diretamente a problemas de saúde.Enquanto estudos sugerem que comer no início do dia é ideal para a saúde metabólica, isso não significa necessariamente que você deve pular o jantar, mas sim torná-lo mais leve. Um grupo de pesquisadores em Israel descobriu em estudos que adultos com sobrepeso perdiam mais peso e tinham maiores melhorias no açúcar no sangue, insulina e fatores de risco cardiovasculares quando tomavam um café da manhã farto, almoço modesto e jantares pequenos.Peterson disse que confirma um ditado antigo: comer o café da manhã como um rei, almoçar como um príncipe e jantar como um pobre. Para ler mais notícias, curta a página Antena 1 News no Facebook!

6 A

Fique por dentro

de tudo o que acontece nos bastidores do mundo da música, desde lançamentos, shows, homenagens, parcerias e curiosidades sobre o seu artista favorito. A vinda de artistas ao Brasil, cantores e bandas confirmadas no Lollapalooza e no Rock in Rio, ações beneficentes, novos álbuns, singles e clipes. Além disso, você acompanha conosco a cobertura das principais premiações do mundo como o Oscar, Grammy Awards, BRIT Awards, American Music Awards e Billboard Music Awards. Leia as novidades sobre Phil Collins, Coldplay, U2, Jamiroquai, Tears for Fears, Céline Dion, Ed Sheeran, A-ha, Shania Twain, Culture Club, Spice Girls, entre outros. Aproveite também e ouça esses e outros artistas no aplicativo da Rádio Antena 1, baixe na Apple Store ou Google Play e fique sintonizado.

  1. Home
  2. noticias
  3. tags
  4. horario

Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.