Antena 1 - Home
Imagem Miniatura do Artista: Alphaville

Alphaville

A história da banda tem inà­cio nos anos 70 na cidade de Enger, Alemanha, quando Bernhard Lloyd e Frank Mertens começaram a fazer música com sintetizadores. Fizeram várias músicas, muitas experimentações, mas ainda precisavam de um vocalista para formar uma banda. Na mesma época, em Mà¼nster, Marian Gold fazia parte de uma banda local, que parecia perfeita até ouvir o som da dupla de Enger. Mais que depressa, ele se ofereceu para assumir o posto de vocalista e assim surgiu o Alphaville, um grupo inspirado pelo Kraftwerk e pelo new romantic inglês.

O movimento new romantic se preocupava com o que tocar, com o que vestir, e, mais ainda, que visual deveriam ter para os fãs. E, como tà­picos new romantics, escolheram Alphaville como referência à  cidade futurista do filme de Jean-Luc Goddard. Os cidadãos de Alphaville são os personagens das letras da banda. O grupo narra as histórias de vida destas pessoas do futuro em situações corriqueiras.

Além de serem considerados uma das bandas mais futuristas dos anos 80, o Alphaville sempre se preocupou em fazer os ouvintes viajarem por suas músicas. Uma viagem da mitologia ao futuro fantástico. Sempre com muitos sintetizadores, teclados, computadores e ideologia.

Em janeiro de 1981 lançaram o single 'Big in Japan', que se tornou um dos maiores remixes da época e alcançou o topo das paradas de sucesso. No ano seguinte lançam outro hit 'Sounds like a Melody', também com um ritmo impecável, valendo ressaltar o destaque dado aos eletrônicos, e à  variação limite dos tons de voz.

Apesar do visual futurista e andrógino, é impossà­vel desprezar o romantismo da interpretação, o apuro técnico e o capricho das letras. Mas o auge do sucesso da banda aconteceu mesmo em setembro, com o lançamento do terceiro single, 'Forever Young'. Eles conseguiram o que na época era bem raro: os três singles, simultaneamente, nos primeiros lugares das paradas da Billboard. Isto deu muita notoriedade à  banda, antes mesmo de lançarem um álbum. O auge do Alphaville foi em 1984.

'Forever Young' emplacou nos charts de toda a Europa e virou quase um hino na época. Então, em outubro, não havia mais como adiar o lançamento de um álbum, que saiu com tà­tulo homônimo ao single aclamado e ganhou disco de platina. A primeira música é 'A Victory of Love', que apresenta um vocal suave e emocionante. Depois vem 'Big in Japan' em uma nova versão "” com uma introdução mais longa, e sem os solos de teclado da versão single "”, 'Sounds Like Melody' e a própria 'Forever Young'.

Incomodado com o sucesso exagerado do Alphaville, em dezembro, Frank Mertens abandona a banda e segue carreira com o grupo The Lonely Boys. Seu lugar foi ocupado pelo guitarrista e tecladista por Ricky Echolette, que conheceu Marian quando ainda era membro do grupo Chinchilla Green.

Neste mesmo ano o Alphaville fez a trilha do filme Der Bulle und das Mà¤dchen (O Touro e a Mulher) e participou do projeto cultural Band fà¼r Afrika, um programa de apoio ao continente africano.

No ano seguinte, a banda saiu de cena e foi trabalhar em seu estúdio próprio, o Lunapark, em Berlim. Com este desaparecimento, a mà­dia especulou sobre uma possà­vel divisão do Alphaville. Contudo, o sucesso só estava começando. Em dezembro de 1985 eles lançaram o single 'The Jet Set', com muitos recursos eletrônicos, introdução de sequencers e vocais bem ritmados.

Em abril de 1986 chegou ao mercado o single 'Dance With Me', que dá uma prévia do que será o sucesso do segundo álbum Afternoons in Utopia, lançado em junho, com produção de Peter Walsh (ou Scott Walker, do Simple Minds) e Steve Thompson, que mais tarde produziria o A-HA e já tinha trabalhado com David Bowie. O álbum tinha a faixa bônus "˜Universal Daddy"™.

O perà­odo de reclusão criativa foi muito produtivo e, assim, o Alphaville tinha material suficiente para lançar um álbum duplo. Porém, devido ao grande sucesso comercial da música 'The Jet Set', eles decidem lançar um álbum simples. A proposta era lançar as músicas não contempladas no lançamento como singles, o que acabou não acontecendo. A banda decide fazer um filme sobre Afternoons in Utopia. Contudo, acabam se dedicando ao projeto Soundtraxx For Imaginary Film, que os aproxima de Klaus Schulze. Também fazem uma coletânea com seis sucessos de cada um dos álbuns lançados, que leva o nome do grupo, e em dezembro lançam o single 'Jerusalem'.

Forever Young foi relançado em 1988 e, novamente, fez sucesso estrondoso nas paradas norte-americanas. Para aproveitar o bom momento comercial, eles lançaram a coletânea The Singles Collecttion, com os maiores sucessos da banda. O terceiro álbum, The Breathtaking Blue, saiu em 89 com produção de Klaus Schulze, fundador do Tangerine Dream. Totalmente diferente dos anteriores, o disco decepcionou muitos fãs, apesar dos recursos tecnológicos inovadores.

O projeto dirigido por Alex Proyas (El Cuervo) e Ricky Echolette incorporava dados audiovisuais, numa proposta que hoje se assemelha ao DVD, mas a má receptividade acabou comprometendo as finanças o grupo. Sob pressão, o Alphaville deu uma pausa entre 1990 e 1993, e cada um foi para um lado desenvolver seus projetos individuais. Marian lançou o álbum solo So Long Celeste em 1992. Bernhard remixou os sucessos mais populares da banda e lançou a primeira coletânea do grupo First Harvest (1984-1992).

Em 1993, após 10 anos longe dos palcos, a banda se apresentou em Beirute. E, em novembro do ano seguinte, lançaram o álbum Prostitute, que exigiu um ano e meio de preparação e tem uma forte conotação polà­tica e de contestação social. A décima música, 'Ivory Tower', é um pout pourri de vários sucessos do grupo.

Em 1995, o Alphaville começa a escrever o álbum Salvation. E, apesar do grupo insistir em trabalhar em estúdio, o empresário os persuade a fazer um álbum ao vivo e outro de estúdio. Sendo assim, Marian dedica-se ao primeiro projeto e Bernhard e Ricky ao segundo. Começa a turnê européia Peace on Earth. E, no inà­cio de 1996, Bernhard une-se a Marian na produção do ao vivo. No verão, o Alphaville tem mais uma baixa.

Ricky Echolette abandona o grupo e vai viver com a famà­lia no sul da França. Nesta mesma época começa a gravação de Salvation em Londres, sob coordenação de Andy Richards, e começa o trabalho para a gravação do álbum ao vivo e a divulgação do grupo na web.

Em 1997, após comunicado oficial da saà­da de Echolette, o Alphaville lança o single 'Wishful Thinking' e, setembro, lançam o Salvation. O quinto álbum tem uma forte mensagem religiosa. O contrato entre o Alphaville e a WEA termina. Em 1998, o grupo lançou a coleção antológica Dreamscapes, seguida de uma turnê que chegou também ao Brasil, em 1999. Houve inclusive o lançamento de uma coletânea brasileira intitulada Visions of Dreamscapes. Nos Estados Unidos é lançado o single 'Flame', através da Navigator Records. Salvation é reeditado nos Estados Unidos com nova capa e três novos singles saem pela Metropolis Records.

Em junho de 2000 chegou o esperado CD de gravações ao vivo Stark Naked and Absolutelly Live, que permanece nas paradas por três semanas. Ao final de um ano, as músicas foram publicadas em CDs de edição limitada. A proposta era um lançamento novo a cada ano. Em 2001 é lançado o primeiro DVD da banda, graças aos esforços de alguns fãs "” Little América Alphaville Live 1999 in Salt Lake City. Em 2002 começou a turnê Miracle Heaing Tour. Na mesma época a banda começa a trabalhar na construção do álbum Crazyshow. Em 2003 o álbum é lançado e a distribuição é feita pela própria banda, juntamente com um grupo de fãs. Em março, Bernhard anuncia oficialmente sua desvinculação do Alphaville.

DISCOGRAFIA

Imagem em Miniatura do Álbum: First Harvest 1984-1992 First Harvest 1984-1992
1991

Imagem em Miniatura do Álbum: The Breathtaking Blue The Breathtaking Blue
1989

Imagem em Miniatura do Álbum: Afternoons In Utopia Afternoons In Utopia
1986

CARREGAR MAIS

ARTISTAS

a-ha
ABBA
Adele
Air Supply
Al Jarreau
Alanis Morissette
Alejandro Sanz
Alicia Keys
Alle Farben
Alphaville
  >